Dr. Tannure completa 10 anos de Flamengo e declara sua‘gratidão’ ao clube

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 23 de dezembro de 2012 as 10:39, por: cdb
Marcio Tannure integra a equipe médica do Flamengo
Marcio Tannure integra a equipe médica do Flamengo

O médico Márcio Tannure, ao lado do doutor Marcelo Soares, é responsável pela saúde do elenco do futebol profissional do Flamengo. O departamento é chefiado por José Luiz Runco, médico do clube e da seleção brasileira. Tannure conta que Runco é sua principal referência profissional e que com ele aprendeu bastante.

Completar 120 meses, ou 10 anos, de trabalho no Mengão é motivo de orgulho para Márcio Tannure, que hoje é especialista em ortopedia, traumatologia do esporte e medicina ortomolecular. Além do expediente no Rubro-Negro, o doutor atende como Diretor Médico do UFC no Brasil. Ele chegou à Gávea como estagiário e assim deu partida a sua conceituada trajetória profissional.
O Site Oficial do Flamengo conversou com Márcio Alves Tannure para saber um pouco da história do médico carioca, de 33 anos. Confira o bate-papo a seguir:

– Sabendo que os números fazem parte das nossas vidas e que 10 anos não são 10 dias, qual a importância de completar esse tempo no Clube de Regatas do Flamengo?

– Faz toda a importância. O Flamengo foi meu primeiro estágio remunerado e depois meu primeiro emprego de carteira assinada. Foi no clube que aprendi muitas coisas. O Flamengo me abriu muitas portas e eu não seria o profissional que sou hoje sem o Flamengo.

E como foi sua trajetória até se formar médico e trabalhar na equipe profissional de futebol do Flamengo?

– Sempre fui praticante de atividades físicas, sempre quis trabalhar com isso, mas não sabia como. Foi então que surgiu a medicina e, desde que entrei na faculdade, sabia que iria trabalhar com medicina desportiva. No Flamengo comecei como estagiário, em 2002, sendo contratado no fim de 2004 e iniciando em janeiro de 2005 no Departamento de Esportes Olímpicos. Em 2006 voltei para o futebol, acumulando o trabalho na base e no profissional. A partir de 2007 fiquei somente no profissional. Foi gradual e natural.

Você atuou também nas seleções de base, né?

– Sim. De 2007 até 2012. Fiz o Mundial sub-17 de 2007, o Sul-Americano e o Mundial sub-20 de 2009 e o Pré-Olímpico de 2011.

Como é trabalhar com o Dr. Runco, que é referência na medicina esportiva?

– É ótimo. Aprendi e aprendo muito com ele. Com certeza, sem ele, a estrada teria sido muito mais difícil, pois aprendi com eles coisas que só o tempo me ensinariam. É minha referência.
Quando descobriu que queria trabalhar com esportes? Acho que desde que fui fazer intercâmbio e joguei futebol na High School em nível competitivo.

Você é médico oficial do UFC, certo? Como aconteceu isso?

– Sim. Sempre treinei jiu-jitsu e gostei de lutas. Quando me formei, atendia vários atletas em meu consultorio particular. Daí por indicação deles surgiu a oportunidade de fazer o primeiro evento no Brasil. O resto foi natural.

É visível que você é muito querido pelos jogadores rubro-negros e pela comissão técnica. Como é o seu dia a dia no Flamengo?

– É muito bom. O carinho e o respeito se conquistam. Acho que todos me tratam assim, pois eu também tenho um carinho e respeito por todos. Como disse anteriormente, tenho um carinho e gratidão muito grande pelo Flamengo e acho que isso reflete no dia a dia.