Doping: Rússia diz que cumpriu normas da Wada

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 10 de novembro de 2015 as 11:50, por: cdb

Por Redação, com agências internacionais – de Moscou:

Para eliminar quaisquer irregularidades cometidas pela vigilância antidoping russa e o laboratório acreditado do país, O Ministério dos Esportes da Rússia disse nesta terça-feira que está aberto para cooperar com a Agência Mundial Antidoping (Wada).

Um relatório de uma comissão antidoping da Wada, divulgado na segunda-feira, alegou amplo esquema de corrupção na Rússia, gerando um dos maiores escândalos de doping na história do esporte.

Ministro dos Esportes da Rússia Mutko concede entrevista em Moscou
Ministro dos Esportes da Rússia Mutko concede entrevista em Moscou

O ministério também informou que a política antidoping russa cumpriu rigorosamente com as normas da Wada.

A Wada recomendou a exclusão da Rússia de todos os eventos internacionais de atletismo, incluindo os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro.

– A Rússia esteve e estará totalmente comprometida com a luta contra o doping no esporte,  informou o ministério em nota.

O ministro dos Esportes da Rússia, Vitaly Mutko, disse que não há evidências para acusações contra a Federação Russa de Atletismo.

Rússia fecha laboratório

Um laboratório de Moscou usado para testes de doping parou de funcionar após ter sua credencial suspensa pela Agência Mundial Antidoping (Wada), disse nesta terça-feira o chefe da Agência Russa Antidoping, Nikita Kamaev.

Kamaev, respondendo a acusações de amplo uso de doping entre atletas russos, pediu a distinção entre o laboratório e a agência antidoping, que disse estar agindo “em plena conformidade com as exigências dos códigos da Wada”.

Os comentários são os mais recentes em uma série de defesas por parte de autoridades russas, após um relatório encomendado pela Wada que alega o doping generalizado por atletas russos e acobertamento por parte de autoridades.

Kamaev disse que há questões sobre a credibilidade das fontes usadas no relatório, porque inclui pessoas ligadas ao esporte que falharam em exames de doping.

Ele também disse que a Rússia está no caminho para limpar o esporte, enfatizando a eficiente atividade da agência que comanda.

– Há problemas, mas… os fatos objetivos, baseados em estatísticas, mostram que a Agência Russa Antidoping… é bem efetiva – disse.

 

Acusações de doping

Uma comissão antidoping internacional recomendou na segunda-feira que a Federação de Atletismo da Rússia seja banida do esporte por causa de suas práticas generalizadas de doping, uma medida que pode causar a exclusão da equipe russa de atlestismo das Olimpíadas do Rio.

A comissão, criada pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), descobriu “uma cultura profundamente enraizada de fraudes” no atletismo russo. Mas também identificou o que chamou de falhas sistêmicas na Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf, na sigla em inglês), entidade que administra a modalidade.

– Estes são dias sombrios – disse o presidente da Iaaf, Sebastian Coe, após a publicação do relatório muito aguardado. Ele deu à Rússia até o final da semana para responder às acusações.

A polícia internacional Interpol declarou que irá coordenar uma investigação global sobre as suspeitas de corrupção e doping no atletismo.

Em seu relatório, a comissão afirmou que a Olimpíada de Londres de 2012 foi “sabotada” pela omissão generalizada das autoridades antidoping internacionais e nacionais.

– Para 2016, nossa recomendação é que a Federação Russa seja suspensa. Na verdade, uma de nossas esperanças é que eles tomem essa iniciativa, de forma que possam remediar o trabalho a tempo para que os atletas russos possam competir sob uma nova estrutura, digamos assim – declarou Dick Pound, presidente da Wada, em uma coletiva de imprensa em Genebra.

A Rússia terminou os Jogos de 2012 em segundo lugar no atlestismo, atrás dos Estados Unidos, com 17 medalhas, oito delas de ouro, e há tempos é uma potência na modalidade.

O escândalo gira em torno das acusações de que se exigiu dinheiro de atletas de ponta para se ‘enterrar’ exames médicos de competidores russos que mostravam o uso de drogas para melhorar o desempenho.

O fato pode se mostrar tão prejudicial para o atletismo mundial quanto tem sido para o futebol o caso de corrupção no cerne da Fifa, onde o presidente, Joseph Blatter, foi suspenso e 14 dirigentes e executivos de marketing esportivo foram indiciados sob acusações de corrupção.

O presidente interino da Federação de Atletismo da Rússia, Vadim Zelichenok, disse à Reuters em uma entrevista por telefone que a Wada não tem poder para impedir os esportistas de seu país de competirem.

– Em segundo lugar, é só uma recomendação… mas não sei dizer se a Iaaf irá seguir esta recomendação.