Dono de fábrica é acusado de escravizar imigrantes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 23 de fevereiro de 2003 as 10:19, por: cdb

Kil Soo Lee, proprietário de uma fábrica de roupas na Samoa Americana – território no Oceano Pacífico administrado pelos Estados Unidos -, foi declarado culpado por explorar imigrantes da China e do Vietnã.

Lee também foi acusado de lavagem de dinheiro e de extorsão em um tribunal no Havaí, já que Samoa Americana não tem um juiz federal para julgar esse tipo de caso.

Durante o julgamento, funcionários contaram que ele ordenava espancamentos a quem desobedecesse às suas ordens, deixava funcionários passando fome e fazia ameaças de deportação se algum deles reclamasse.

“Kil Soo Lee explorou mais de 200 trabalhadores chineses e vietnamitas em um esquema que não passa de uma versão moderna da escravidão”, disse John Ashcroft, procurador-geral dos Estados Unidos.

Sentença

Outros dois gerentes da fábrica de roupas – que, antes de fechar, era fornecedora de grandes redes como a JC Penny- também foram declarados culpados por crimes semelhantes.

A pena de Lee ainda não foi determinada, mas ele deve ter que cumprir 20 anos de prisão para cada 11 casos em que o que tribunal chamou de “servidão involuntária” dos imigrantes ficar determinada.

Além disso, ele deverá ser condenado a 10 anos para cada um dos outros crimes.

Ele deverá receber a sentença da Justiça em junho.

Segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, esse foi o maior caso de tráfico humano julgado por um tribunal americano.

Os advogados de acusação disseram que os trabalhadores pagaram milhares de dólares para conseguir emprego na fábrica, mas, uma vez no local, eles eram escravizados.

A defesa tentou tirar a credibilidade das testemunhas da acusação, dizendo que os depoimentos estavam repletos de discrepâncias e mentiras.

Ashcroft divulgou um comunicado elogiando a decisão da Justiça.

“O tráfico humano é mais do que uma violação da lei. É uma afronta à dignidade humana”, disse o procurador-geral dos Estados Unidos.