Dólar mantém queda com emissão de títulos da dívida externa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de abril de 2003 as 15:49, por: cdb

O retorno do Brasil ao mercado internacional de dívida, com a captação de US$ 1 bilhão, ajuda a derrubar as cotações do dólar no mercado interno. Na tarde desta terça-feira, a moeda norte-americana é vendida a R$ 2,918, com desvalorização de 1,48%.

A perspectiva de sucesso da operação já estava pesando nas cotações do dólar desde a abertura.

A boa aceitação desses títulos reflete o aumento da confiança dos investidores estrangeiros em relação ao Brasil por causa da política econômica ortodoxa da administração Luiz Inácio Lula da Silva.

Outra boa notícia é a de que o BC renovou, esta tarde, mais 25,9% de uma dívida em contratos de swap cambial com vencimento em 7 de maio no valor total de US$ 1,5 bilhão. Na última segunda-feira (28), na primeira etapa da operação, o BC já havia rolado 62,6% da dívida, e só faltam US$ 173,60 milhões (11,5%) para serem alongados. Essa notícia também influencia positivamente o câmbio.

Continuam entrando no mercado os recursos captados no exterior por empresas brasileiras, fator de grande pressão para o dólar. Um movimento de compra mais expressivo por parte de empresas que têm compromissos a saldar em dólares impede que a moeda recue mais.

A divulgação do IGP-M (Índice Geral de Preços de Mercado), medido pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), de abril está no centro das atenções, bem como o debate sobre as reformas tributária e da Previdência, cujos projetos estão em vias de serem enviados ao Congresso.

O C-Bond, principal título da dívida, tem valorização de 0,72%, vendido a 87,375% do seu valor de face e o risco-país está em 839 pontos-base, recuando 1,29%.