Dólar cai abaixo de R$3,25

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 2 de agosto de 2016 as 11:52, por: cdb

Nesta manhã, o Banco Central novamente vendeu 10 mil swaps reversos, que equivalem a compra futura de dólares

Por Redação, com Reuters – de São Paulo:

O dólar recuava cerca de 1% e ia abaixo de R$ 3,25 nesta terça-feira, reagindo à recuperação dos preços de commodities e em linha com a baixa global da moeda norte-americana após o anúncio de novos estímulos fiscais no Japão.

dólar
Também ajudava manter o dólar em queda nos mercados globais a alta de apenas 0,1% do índice de preços PCE nos Estados Unidos em junho

Às 10:57, o dólar recuava 0,82%, a R$ 3,2452 na venda, após subir 0,90 na sessão anterior. O dólar futuro caía cerca de 0,65% nesta manhã.

– Não há grandes notícias. As commodities estão subindo e o dólar está caindo em todo mundo – resumiu o economista da 4Cast Pedro Tuesta.

Os preços do petróleo voltavam a subir nesta manhã após acumularem queda de 10% em uma semana, mas investidores continuavam preocupados com o excesso de oferta global.

O movimento era acompanhado de avanços nos preços de outras commodities relevantes para a América Latina, como o minério de ferro e o cobre. Nesse contexto, o dólar recuava em relação aos pesos chileno, mexicano e colombiano.

Outro fator que contribuía para a queda global da moeda norte-americana era o anúncio de US$ 132 bilhões em medidas fiscais no Japão, que decepcionou alguns investidores que esperavam ações mais contundentes, mas levou o dólar a perder terreno em relação ao iene.

Também ajudava manter o dólar em queda nos mercados globais a alta de apenas 0,1% do índice de preços PCE nos Estados Unidos em junho, que reforçou a percepção de que os juros norte-americanos não devem voltar a subir tão cedo.

– Os ventos externos estão ditando o movimento dos mercados brasileiros – disse o operador de uma corretora internacional, sob condição de anonimato.

No cenário local, investidores continuavam monitorando os passos do ajuste fiscal. Alguns demonstravam decepção após o governo aceitar alterar o projeto de renegociação da dívida dos Estados para garantir sua aprovação no Congresso Nacional, cuja votação está prevista para esta sessão.

Nesta manhã, o Banco Central novamente vendeu 10 mil swaps reversos, que equivalem a compra futura de dólares, repetindo a atuação que vem realizando quase diariamente desde o mês passado.