Dois supostos autores de grampo na Bahia são indiciados pela PF

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 25 de fevereiro de 2003 as 11:39, por: cdb

O ex-delegado chefe da Polícia Civil da Bahia, Valdir Barbosa, e o engenheiro Alan Souza de Farias foram indiciados pela Polícia Federal, na madrugada desta terça-feira, por falsificação de documentos públicos e pela autoria de grampos ilegais dos deputados Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) e Nelson Pelegrino (PT-BA), do ex-deputado Benito Gama e do casal de advogados Plácido Faria e Adriana Barreto, ex-amante do senador Antônio Carlos Magalhães.

Os dois prestaram depoimento durante 10 horas e meia ao delegado federal Gesival Gomes de Souza, que pretende também ouvir, após o carnaval, a ex-secretária de Segurança do Estado, Kátia Alves, e outros oito policiais civis que também participaram da escuta.

“Ambos mentiram”, disse Gomes, afirmando que Valdir jogou a culpa em Alan e Alan a repassou a autoria dos grampos aos demais policiais. Segundo o delegado federal, eles negaram o crime, mas os indícios os apontam como responsáveis pelos grampos. Em nenhum momento, eles citaram o nome do suposto mandante nem de ACM.

Para os investigadores que trabalham no caso, Alan deixou várias lacunas em seu depoimento e procurou dar informações mais técnicas sobre os grampos do que propriamente sobre sua autoria; mas, segundo o delegado federal, Alan ressaltou que os oito policiais são remanescentes da equipe de Kátia Alves quando ela ainda era delegada da 12ª Delegacia de Polícia de Salvador. Todos também podem ser indiciados nos próximos dias.