Dois filmes que fizeram barulho e desapareceram

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de dezembro de 2003 as 07:55, por: cdb

Com a chegada ao fim de 2003, é hora de pagar tributo a alguns notáveis que marcaram a cena em Hollywood, para o bem ou para o mal.Vincent Gallo chamou atenção no Festival de Cinema de Cannes, em maio, ao apresentar um dos filmes mais criticados dos últimos tempos. Primeiro, foram as manchetes sobre o infame The Brown Bunny, em que ele aparece dirigindo em silêncio por mais de uma hora, além da cena de sexo oral com Chloe Sevigny.

Depois, respondendo sobre suas intenções artísticas, Gallo disse: “Quem sabe por que eu faço o que faço?”. Então, ele atribuiu roteiro, direção, filmagem, edição e produção ao fato de que “trabalho apenas perto de pessoas em quem confio. Se tiver uma dúvida sobre alguém, tiro imediatamente do filme.”

Também na Croisette este ano, o par de Dogville Nicole Kidman e Lars von Trier teve uma interessante discussão. Quando Von Trier começou a dominar a entrevista coletiva, chegando a responder perguntas feitas à linda Kidman, a estrela australiana contra-atacou. Após filar um cigarro de Stellan Skarsgard, Kidman começou a tragar, deixando a fumaça chegar até o rosto do dogmático diretor antitabagista. “Nicole, não faça isso”, pediu Von Trier. “Você prometeu.” Rendendo-se ao inevitável, ele relutantemente empurrou o microfone na direção dela dizendo: “Ok, agora você pode falar.”

Os dois filmes fizeram muito barulho no meio do ano, quando chegaram no Rio para o festival de cinema os ingressos foram disputados, mas não chegaram a agradar muito o público.  Dogville está sendo reeditado, o filme que originalmente tinha quase 4h, vai ter 40 minutos a menos por força do mercado. Nicole Kidman foi muito elogiada em sua interpretação, mas prêmios por esse trabalho se mostram cada vez mais distantes.