Documentos dos EUA sobre o Iraque são falsos, denuncia Hans Blix

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 22 de abril de 2003 as 13:01, por: cdb

O chefe dos inspetores do desarmamento da ONU, Hans Blix, denunciou, numa entrevista difundida nesta terça-feira pela rádio BBC, a falsificação de documentos para justificar a guerra no Iraque. “Foi perturbador verificar que uma parte importante dos documentos em que Washington e Londres se basearam para construir os seus dossiês (da luta contra o Iraque) era pouco sólida”, disse Hans Blix na entrevista, que deverá ser transmitida na íntegra, no sábado, pela rede de televisão.

“Há exemplos flagrantes – relatou – Ouvimos falar de um contrato entre o Iraque e a Nigéria para a importação de 500 toneladas de urânio. No entanto, quando a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) conseguiu obter o contrato não foi muito difícil descobrir que era falso, que tinha simplesmente sido falsificado”.

“É muito, muito perturbador. Quem o falsificou? Não é inquietante verificar que os serviços de informação (norte- americanos e britânicos), que deveriam ter todos os meios técnicos à sua disposição, não descobriram que se tratava de um documento falso?”, questionou.

Ao ser perguntado se acusava os serviços de informação norte-americanos e britânicos de terem falsificado os documentos sob ordens de Washington e de Londres, Hans Blix respondeu: “Não iria tão longe”.

“Eles puderam obter este falso contrato em algum lugar – prosseguiu – A CIA disse ter obtido uma cópia do Reino Unido (e) eu não estou, certamente, sugerindo que os serviços secretos britânicos poderiam tê- lo falsificado”.

Relativamente ao papel do secretário de Estado norte-americano, Colin Powell – que exibiu, numa intervenção no Conselho de Segurança, antes do conflito, “provas” contra o Iraque que Blix considerou infundadas – o chefe dos inspetores mostrou-se prudente.

“Quando se ocupa um cargo alto – observou – recebem-se os documentos, mas não se podem verificar todos. O que é perturbador é que os serviços secretos não o tenham feito”.

O chefe dos inspetores do desarmamento da ONU deverá reunir-se nesta terça-feira com o Conselho de Segurança para discutir o eventual retorno da sua equipe ao Iraque.