Docentes da UFRN aprovam proposta do Governo de Carreira e Campanha Salarial

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 25 de agosto de 2011 as 09:25, por: cdb

 

Em consulta eletrônica, os Docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) aprovaram a proposta de reajuste salarial apresentada pelo Governo na última sexta-feira, 19 de agosto. Com significativa votação, a consulta pública registrou 287 votos, onde a expressiva maioria dos professores (77%) disseram sim à proposta. Apenas 4% se abstiveram e 19% disseram não aos seis itens apresentados pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).

Nesta quinta-feira, 25, o PROIFES reunirá as entidades filiadas para contabilizar os resultados dos plebiscitos sobre aceitação ou não da proposta do governo. Se o resultado for “sim”, será debatido o termo de acordo e sua assinatura. Se a proposta não for aprovada pela maioria das entidades filiadas, será elaborado documento mostrando por que a categoria não assina o acordo.

Para a vice-presidente do ADURN-Sindicato, Sandra Monteiro, que estará em Brasília nesta quinta-feira representando a entidade, durante a reunião na sede do PROIFES “abriremos o debate sobre as formas de encaminhamento que levaremos às nossas bases. Defendendo a intensificação dos debates e reuniões”.

Assim que foi encerrada a apuração dos votos, a Diretoria do ADURN-Sindicato se posicionou sobre o resultado:

Para o presidente, João Bosco Araújo, “a celeridade exigida pela própria dinâmica do processo, que se encerra nesta quinta, fez com que a Diretoria encaminhasse a Consulta Eletrônica da forma que ocorreu. Diante deste quadro, creio que era nossa responsabilidade utilizar as novas tecnologias de comunicações e consultar os associados sobre a posição que o ADURN-Sindicato deveria “levar” para a reunião de sindicatos e do PROIFES-FÓRUM nesta quinta, o que é previsto no estatuto do ADURN -Sindicato. Não obstante concordar com a importância de termos assembleias presenciais, não podemos deixar de considerar que mesmo a maior de nossas assembleias não conseguiria ter 281 presentes para realizar o debate e deliberar uma posição”.

Contudo, ele considera que “tudo isso não é impedimento para que se realize reuniões por departamentos e faça assembleias para discutir os próximos passos a serem dados tão logo o GT seja instalado. Esse é o nosso compromisso”, afirmou.

E acrescentou, “consideramos que o resultado da Consulta nos deu uma amostra clara do que pensa os associados do ADURN-Sindicato e na reunião dos sindicatos e do PROIFES-FÓRUM, colocaremos nossa posição”.

O diretor de Política Sindical, Wellington Duarte, ressaltou que “a participação foi dentro das nossas expectativas, na medida em que o tempo para que organizássemos o pleito foi muito curto, apenas 48h. Além do mais, dos mais de 2.300 filiados identificamos que 520 (22,6% dos sindicalizados) não têm correio-eletrônico, o que deve ter influenciado uma melhor análise sobre a proposta do Governo, através da nossa entidade. De qualquer forma 287 professores participaram da consulta eletrônica e, destes, 77% optaram pelo “Sim”, 19% disseram “Não” e 4% se abstiveram”.

Para Wellington, “o debate e a mobilização não se encerram aqui. Agora teremos uma luta mais árdua e comlexa dentro do Grupo de Trabalho, não só para garantir a reposição, mas também para finalizar o processo de construção da nossa carreira”.

E afirma, “acho que o ADURN-Sindicato deve criar uma agenda de reuniões e de assembléias para municiar, inclusive, nossos dirigentes nesse GT”.

A vice-presidente da entidade, Sandra Monteiro, considerou “importante que o ADURN-Sindicato tenha feito essa consulta, que serve também para que o professor se conscientize que é necessário participar da vida do Sindicato, já que o mesmo representa a categoria. Estarei em Brasília nesta quinta-feira representando a entidade e abriremos o debate sobre as formas de encaminhamento que levaremos às nossas bases. Defendo a intensificação dos debates e reuniões”.

A diretora de Política Sócio-Cultural, Gilka Pimentel, professora do Núcleo de Educação Infantil (NEI) e responsável pela EBTT no Estado, enfatizou a importância e o “sucesso na Consulta e o EBTT, que estava fora do reajuste nas primeiras negociações, foi incluída por iniciativa do PROIFES-FÓRUM e com o total apoio do ADURN-SINDICATO. Passemos agora a ampliar o debate e participar ativamento do GT”.

Já o Primeiro Tesoureiro, Paulo Campos, parabenizou “os professores que participaram da Consulta. O -Sindicato tem a responsabilidade de interferir de forma dinâmica no GT, para que consigamos a reposição, a equiparação com a Ciência e Tecnologia e queavancemos mais e mais na construção da Carreira”.

Para o diretor de Política Educacional e Científica, José Maxwell de Albuquerque, o “-Sindicato cumpriu, mais uma vez sua missão de ser representante da categoria docente. Devemos, agora, defender de forma intransigente os aposentados no GT”.