DISCURSO DE MORALES TEVE REAÇÃO NULA NA ONU, DIZ CHANCELER CHILENO

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 23 de setembro de 2011 as 11:44, por: cdb

SANTIAGO DO CHILE, 23 SET (ANSA) – O ministro de Relações Exteriores do Chile, Alfredo Moreno, afirmou hoje que a reação da comunidade internacional diante do discurso do presidente boliviano, Evo Morales, durante a 66° Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) “foi absolutamente nula”.
   
Morales defendeu na última quarta-feira o direito que seu país tem de levar diante da Corte Internacional de Justiça, em Haia, um processo judicial contra o Chile por conta da demanda por uma saída soberana ao Oceano Pacífico e pediu que os países presentes acompanhassem este processo.
   
“Aqui os temas de interesse são outros e a comunidade internacional está acostumada com a existência de problemas de fronteiras, já que entendem que são conflitos que têm que ser solucionados em função do que foi determinado pelos países em seus tratados internacionais”, disse Moreno à rádio chilena Cooperativa.
   
Moreno ainda reiterou a opinião do presidente chileno, Sebastián Piñera, ao declarar que a Bolívia assinou e validou o Tratado de 1904, que definiu as fronteiras entre os países, e que, desta forma, existe “uma inconsistência entre o que vemos todos os dias durante mais de 100 anos e o que foi mencionado” pelo acordo.
   
Segundo Morales, a Bolívia se embasa “no direito e na razão, porque seu aprisionamento é resultado de uma guerra injusta, uma invasão”. O boliviano ainda citou uma resolução da ONU de 1982 que prevê que “resolver litígios entre Estados não deve ser considerado um ato inamistoso”.
   
A Bolívia perdeu sua saída para o mar para o Chile durante a Guerra do Pacífico (1879-1883), na qual territórios peruanos também passaram a ser controlados pelos chilenos.(ANSA)