Discriminação compromete futuro profissional de crianças e jovens

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de setembro de 2004 as 13:56, por: cdb

O coordenador nacional do Programa de Trabalho Infantil da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Pedro Américo Oliveira, disse hoje que discriminações de gênero, raça e etnia podem comprometer o futuro profissional de crianças e jovens. Segundo ele, quando elas atingem a idade adulta, já tiveram um condicionamento na formação e já passaram por algumas ocupações perigosas, degradantes e até ilegais, e isso condiciona os seus papéis.

Oliveira lembrou que, no Brasil, ainda existe forte discriminação contra as mulheres, principalmente as negras, que acabam recebendo salários menores do que outras mulheres. “E, as mulheres, com relação aos homens, têm posições nem sempre de tanta igualdade” , acrescentou.

O coordenador espera que o seminário Direitos Humanos e Erradicação do Trabalho infantil gere informações e subsídios a serem encaminhados ao poder público como alternativas, indicações e sugestões às políticas para o setor. Oliveira participa do encontro, que está sendo promovido na sede da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), em Brasília.