Dinamarqueses tentam evitar acolhimento de imigrantes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de setembro de 2015 as 11:16, por: cdb

Por Redação, com Sputnik Brasil – de Londres:

O jornal dinamarquês Politiken escreveu que mais de metade dos cidadãos dinamarqueses opinam que é preciso realizar um referendo sobre a participação da Dinamarca na política migratória comum da União Europeia.

A pesquisa de opinião pública foi realizada por encomenda do jornal Politiken e canal televisivo TV2.

Segundo a pesquisa, 53 %  opinam que tal referendo é necessário. 26% opõem- se a esta ideia. Na sondagem, realizada pelo centro Megafon, participaram 1.009 pessoas.

Entretanto, a maioria dos partidos parlamentares acha que tal referendo não é necessário.

Entretanto, a maioria dos partidos parlamentares acha que tal referendo não é necessário
Entretanto, a maioria dos partidos parlamentares acha que tal referendo não é necessário

Em teoria, se tal referendo for afinal das contas realizado e se os dinamarqueses votarem contra, a Dinamarca não terá de participar no sistema europeu de quotas de distribuição de refugiados. Neste momento, os países europeus travam negociações sobre a distribuição de 160 mil refugiados e imigrantes que neste momento estão na Itália, Grécia e Hungria.

Nos últimos meses a Europa tem se esforçado por encontrar uma saída para a mais grave crise migratória desde o fim da Segunda Guerra Mundial, com milhares de refugiados chegando constantemente ao continente, fugindo das guerras em África e no Oriente Médio.

De acordo com a Comissão Europeia, desde o início do ano mais de 500 mil refugiados e imigrantes conseguiram chegar ao bloco europeu.

Apesar de Bruxelas ter acordado e revisado várias vezes as quotas, as autoridades de muitos países da União recusam-se a lidar com tal quantidade de pessoas oriundas de locais de conflitos.