Dilma se diz confiante em relação ao próximo balanço do PAC

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 14 de maio de 2007 as 20:04, por: cdb

Após participar da abertura do 19º Fórum Nacional, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse nesta segunda-feira esperar que o próximo balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) seja melhor que o divulgado no último dia 7.

– Estou esperando uma melhoria. E no outro, melhor ainda -, disse.

O governo optou por apresentar um balanço quadrimestral do PAC para dar maior transparência à população sobre o andamento dos projetos.

– Não é uma peça de marketing. É um processo no qual nós todos vamos nos aperfeiçoar. O compromisso do PAC é eliminar a descontinuidade, os esqueletos e as obras paralisadas -, assegurou a ministra, para quem todos os aspectos do Programa estão apresentando avanços.

Ela rebateu as críticas de que o governo se dedicaria somente a projetos inacabados e, como exemplo, citou a Ferrovia Norte-Sul. Nesse projeto, disse, “estaremos fazendo mais do que nos últimos 20 anos”. A obra foi retomada pelo governo porque é considerada essencial para o país, na medida em que representa a integração dos modais de transporte entre o Centro-Oeste e o Norte, que são fronteiras agrícolas, acrescentou.

De acordo com dados fornecidos pela ministra, no governo José Sarney foram entregues apenas 100 quilômetros da ferrovia, seguindo-se mais 115 no governo Fernando Henrique Cardoso. No primeiro governo Lula, informou, foram construídos mais 147 quilômetros, que serão entregues no próximo dia 24.

Incluídos os dois trechos da ferrovia que fazem parte do PAC – com 358 quilômetros, ligando Araguaína a Palmas (TO), e com  280 quilômetros entre  Anápolis e Uruaçu -, “785 quilômetros serão entregues à população”, o que equivale à metade da extensão total do projeto, de 1.550 quilômetros.

O primeiro balanço do PAC contabiliza até agora 1.646 ações, entre estudos, projetos e obras. Desse total, a ministra lembrou que 734 são estudos e 912 (55,4%), obras. E reafirmou que 52,5% dessas ações estão em dia; 39,1% merecem atenção, isto é, podem ter o cronograma em dia; e 8,4% ainda apresentam uma situação preocupante.

Todas as ações do PAC estão catalogadas em um banco de dados, revelou a ministra, acrescentando que o PAC prevê investimento de cerca de R$ 504 bilhões em quatro anos.