Dilma quer parcerias privadas para modernizar aeroportos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 20 de dezembro de 2012 as 11:41, por: cdb

A presidenta da República, Dilma Rousseff, afirmou nesta quinta-feira que espera ampliar parcerias entre operadores internacionais e investidores brasileiros para modernizar os aeroportos do país. O anúncio foi feito no Palácio do Planalto durante o lançamento de mais uma etapa do Programa de Investimentos em Logística, que direcionará R$ 7,3 bilhões para 270 aeroportos regionais.

De acordo com Dilma, as parcerias serão fundamentais para dar conta do crescimento da demanda por vôos domésticos, que se acentuou com a ampliação da classe média. “Não temos tradição de aeroportos privados, por isso achamos importante a parceira com operadores internacionais. Queremos que ela se crie e se fortaleça porque sabemos que teremos crescimento exponencial da demanda, porque teremos um país de classe média, que vai assegurar que brasileiros e brasileiras utilizem o transporte aeroviário.”

A expectativa é que operadores que atuem no Brasil movimentem 35 milhões de passageiros por ano e tenham pelo menos 25% de participação no consórcio “para fazer com que seja mais rápida a apropriação das melhores práticas, tanto no que se refere à gestão dos aeroportos como a estabilidade dos negócios”, disse Dilma.

Durante o evento, ela anunciou a concessão dos aeroportos de Confins (MG) e Galeão (RJ) para a iniciativa privada. Juntos os dois devem render R$ 11,4 bilhões aos cofres brasileiros, sendo R$ 4,8 bilhões o de Confins e R$ 6,6 bilhões o Galeão. O edital será lançado em agosto de 2013 e o leilão será realizado em setembro.

Interior

A presidenta reforçou que é necessário ampliar as operações nos aeroportos regionais, localizados em cidades do interior.

– O governo mantém a infraestrutura, a manutenção e os custos de principais serviços, como segurança e apoio contra incêndios. Os governos municipais e estaduais assumirão custeio da operação. Caso não seja esta a forma, achamos que será muito importante o uso da concessão administrativa – afirmou.

A presidenta garantiu que não irá ocorrer aumento nas tarifas de navegação área.

– O que nós queremos é que essa seja uma estrutura que beneficie o sistema produtivo e toda a população do país. O desafio é o aumento da competitividade e da taxa de investimento. O aumento de renda de milhões de brasileiros que se elevaram para a classe média provocou uma demanda nos aeroportos que não existia nas décadas anteriores. Para enfrentar esse problema, além dos investimentos, julgamos que era necessária uma nova plataforma de investimento. Pretendemos que o Brasil tenha um desempenho aeroportuário de qualidade, que haja pontualidade e regularidade e que se contemple uma questão fundamental que é a presença das empresas no tráfico regional – afirmou.

O Programa de Investimentos em Logística já havia lançado ações focadas em ferrovias, rodovias e portos. Agora foi a vez dos aeroportos, que somam 720 públicos e 1,9 mil privados no país.