Dilma e Graça Foster entram na lista dos mais influentes do mundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de abril de 2012 as 13:32, por: cdb

Dilma e Graça Foster entram na lista dos mais influentes do mundo

Cristina Kirchner, responsável pelo perfil da presidenta publicado na revista Time, afirma que a brasileira inspira confiança e respeita os interesses dos vizinhos

Por: Redação da Rede Brasil Atual

Publicado em 18/04/2012, 16:10

Última atualização às 16:10

Tweet

São Paulo – A presidenta da República, Dilma Rousseff, e a presidenta da Petrobras, Graça Foster, foram incluídas na lista das cem pessoas mais influentes do mundo da revista norte-americana Time. A relação, feita anualmente com personalidades culturais, esportivas, sociais e políticas, tem Dilma pela segunda vez entre os escolhidos.

O perfil de apresentação da brasileira é redigido pela presidenta da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, que começa abordando a força de Dilma na resistência à ditadura. Cristina recorda a foto na qual a então militante olha para os agentes da repressão. “Ela exalava confiança. Os papéis pareciam invertidos: era Dilma quem fitava não apenas os militares mas todo um aparato cúmplice na injustiça de excluir a maioria do poder durante as duas décadas dos generais”, diz. 

Para a argentina, a mulher que ela conheceu em 2003 como ministra de Minas e Energia do governo de Luiz Inácio Lula da Silva possuía a mesma força. Cristina considera compartilhar com Dilma muitas experiências: filhas de imigrantes, a militância política e o desafio de serem mulheres que tentam ganhar um espaço dominado por homens. 

A presidenta complementa que a América Latina tradicionalmente serviu aos interesses de outras nações da região. “Hoje, com a liderança de Dilma Rousseff, nós vemos o Brasil convencido de que seus interesses nacionais estão absolutamente conectados aos interesses dos vizinhos.”

O texto a respeito de Graça Foster, que assumiu este ano a Petrobras no lugar de José Sergio Gabrielli, é assinado por Bryan Walsh, editor da revista. Ele lembra a trajetória de superação da executiva, de catadora de materiais recicláveis em uma favela a comandante de uma das maiores empresas de petróleo e gás do mundo. “Com a Petrobras investindo US$ 225 bilhões de dólares na próxima década para explorar petróleo na costa brasileira, a experiência de Foster – e sua tenacidade – vai ser ainda mais importante do que a sua perspicácia política.”