Dilma defende manutenção de vetos a novas despesas em conferência

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de outubro de 2015 as 11:07, por: cdb

Por Redação, com Reuters, ABr e Sputnik – de Brasília:

Um país em dificuldades não pode aumentar suas despesas “desproporcionalmente”, disse a presidenta Dilma Rousseff, acrescentando esperar que o Congresso Nacional mostre seu compromisso com o Brasil mantendo os vetos presidenciais a novas despesas em sessão marcada para esta quarta-feira.

Em entrevista, nesta quarta-feira, a rádios da Bahia, Dilma ressaltou que o governo precisa conter as despesas e, ao mesmo tempo, manter o investimento em programas sociais. Segundo a presidente, quanto mais rapidamente as medidas de ajuste fiscal forem aprovadas pelo Legislativo, mais cedo virá a recuperação econômica.

Dilma
A presidenta Dilma Rousseff falou durante o 27º Congresso Brasileiro de Radiodifusão

Aprovados anteriormente pela Casa e vetados por Dilma, os textos preveem, por exemplo, reajuste salarial médio de 56% aos servidores do Judiciário e extensão da política de valorização do salário mínimo a todos os aposentados e pensionistas.

– É impossível um país que está enfrentando dificuldades aumentar desproporcionalmente suas despesas – acrescentou.

Durante a entrevista, Dilma disse ainda que o governo luta para manter os investimentos sociais em meio à tomada de decisões que visam a reequilibrar o Orçamento.

– Esse é o nosso desafio – destacou.

– Estamos fazendo um imenso esforço para reduzir a inflação. A tendência é de queda. Há alguns aumentos no percurso, mas a tendência é de queda, reconhecida pelo mercado – concluiu.

A presidenta disse que o Brasil vive um momento com “acentuadas divergências” que carecem de um “ambiente mais amigável”. Segundo ela, o país precisa respeitar o “direito ao contraditório” e a “imparcialidade nos julgamentos”. Em uma época de democratização do acesso à informação, defendeu, deve-se valorizar a diversidade.

– Em um momento de acentuadas divergências, são fundamentais os eventos de serenidade, apaziguamento, respeito às diferenças, formação de consensos e busca de um ambiente mais ameno e amigável no país. É imperativo que cada espaço público de divulgação de ideias e informações seja espaço nobre de apreço pela verdade e de representação da pluralidade de opiniões – disse.

Em seu discurso durante a abertura do 27º Congresso Brasileiro de Radiodifusão, Dilma defendeu a liberdade de imprensa e de expressão. Para uma plateia de diretores de emissoras de rádio e TV, a presidenta afirmou que as pessoas devem ser livres para “criticar, apoiar governos e partidos políticos ou criticá-los”.

– A liberdade de expressão é liberdade de ir às ruas para reivindicar direitos ou simplesmente protestar. Exige que todos nós possamos defender seus interesses e projetos sem qualquer censura do Estado, sem censura de qualquer tipo – afirmou.

Para Dilma, a tarefa de defender esses princípios cabe a “todos: governantes, políticos, acadêmicos e formadores de opiniões”.