Dia da Mulher é dedicado à política colombiana seqüestrada por Raffarin

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 13:48, por: cdb

O primeiro-ministro francês, Jean-Pierre Raffarin, dedicou a comemoração do Dia Internacional da Mulher deste sábado, à ex-candidata à presidência da Colômbia Ingrid Betancourt, refém das Farc há mais de um ano.

“Queria dedicar este dia a Ingrid Betancourt”, disse Raffarin, depois de receber centenas de mulheres na sede do Governo.

Betancourt, que tem dupla nacionalidade francesa e colombiana, foi seqüestrada pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em 23 de fevereiro de 2002.

O presidente francês, Jacques Chirac, recebeu os familiares da ex-candidata ecologista à presidência da Colômbia no aniversário de seu seqüestro e ofereceu seus serviços para tentar obter a libertação, em cooperação com o Governo de Bogotá.

Aproximadamente 450 mulheres foram convidadas hoje à sede do Governo francês, onde Raffarin também recebeu os membros da marcha das mulheres contra a violência nos “guetos”.

A marcha, com o lema “nem putas, nem submissas”, partiu no dia 1 de fevereiro de Vitry, nos arredores de Paris, onde uma adolescente foi queimada viva por jovens, e termina neste sábado em Paris, com uma manifestação.

O objetivo é sensibilizar a opinião pública sobre o drama das meninas nos bairros pobres, onde predominam imigrantes muçulmanos, e reivindicar seu direito à liberdade e à emancipação.

“Nós, as meninas dos bairros, lutamos simplesmente para viver. É dramático em uma sociedade e em uma democracia como a França”, disse Kahina Benziane, irmã da vítima de Vitry.

Ao ato na sede do Governo também compareceram a primeira-dama da França, Bernadette Chirac, e várias das ministras de Raffarin.