Despesa com Beira-Mar será mínima, diz Alckmin

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de maio de 2003 as 19:35, por: cdb

Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse que o Estado terá uma despesa mínima com a permanencia de Beira-Mar no presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes (589 km a oeste de São Paulo).

Alckmin ressaltou ainda que o traficante não é um criminoso paulista e que por isso não cumprirá sua pena em São Paulo. Mas que o Estado ajudará a união até que um presídio federal fique pronto para recebê-lo.

Segundo o governador, Beira-Mar é considerado um preso comum e por isso a despesa com o traficante será mínima. Durante os 39 dias em que Beira-Mar permaneceu em Alagoas, a Polícia Federal teve um custo adicional de mais de R$ 400 mil – o equivalente a 1.666 salários mínimos.

Negociações

As conversas para que o traficante voltasse para São Paulo começaram na semana passada com contatos do governo federal com o secretário de Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa.

Já no último domingo, o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, conversou com o governador e acertou a volta de Beira-Mar para Presidente Bernardes. De acordo com o governador, a decisão não foi divulgada antes da transferência por uma questão de segurança.