Desmontar linha de produção do crime organizado é nossa função, diz Bastos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de abril de 2003 as 15:57, por: cdb

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse nesta quinta-feira, no Senado, que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, é “absolutamente cético” com a possibilidade de melhorar a realidade da violência brasileira com mudanças na legislação.

Segundo Bastos, o governo tem certeza de que o problema da violência será resolvido com mudanças nas “ferramentas de que o Estado dispõe para combater a criminalidade”. A seu ver, no decorrer dos anos, foi criada uma verdadeira linha de produção da criminalidade, que vai das Febem até os sistemas presidiários.

– A nossa função é desmontar essa linha de produção do crime organizado e estamos tentando fazer isso desde o início do atual governo com a implantação do Sistema Único da Segurança Pública no Brasil. Não queremos intervir nas políticas de segurança pública dos estados, queremos é um contrato de solidariedade com os estados para combater o crime organizado com mais eficácia. Estamos absolutamente conscientes que cabe a este governo a responsabilidade pela segurança pública no Brasil. Partimos do princípio que a mudança da lei não resolve o problema. O que precisa fundamentalmente é mudar as ferramentas, os instrumentos que o Estado tem para enfrentar a criminalidade – disse Bastos.

Nesta tarde, o ministro está fazendo a exposição inicial sobre a questão da criminalidade no Brasil. Em seguida, Bastos será sabatinado por senadores que foram designados pelos partidos.