Desemprego nos EUA bolta a subir

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 3 de maio de 2003 as 21:38, por: cdb

A taxa de desemprego nos Estados Unidos chegou em abril a 6% da população economicamente ativa, refletindo cortes nas vagas de trabalho pelo terceiro mês consecutivo.

Os números oficiais indicam que a taxa aumentou 0,2 ponto percentual desde março e chegou ao patamar mais alto desde o início de 2003.

Cerca de 525 mil pessoas teriam perdido seus empregos no país nos últimos três meses, e agora um total de 8,8 milhões estariam foram do mercado de trabalho.

Os números colocam em dúvida as análises de alguns economistas, que vêm dizendo que os Estados Unidos começam a dar sinais de que está saindo da crise econômica que enfrentou nos últimos meses.

– Não há como negar os números de abril foram terríveis – disse o analista Ken Mayland, presidente da consultoria ClearView Economics de Cleveland, no estado americano de Ohio.

Existe a expectativa, porém, de a taxa de desemprego cair nos próximos meses como reflexo do fim da ofensiva militar liderada pelos Estados Unidos contra o Iraque.

– Eu diria que já vimos o pior – completou Mayland.

Segundo a correspondente da BBC em Washington, alguns dos setores mais afetados pelos cortes em abril foram a indústria e as companhias aéreas.

O índice Dow Jones, da bolsa de valores de Nova York, reagiu a princípio negativamente com a divulgação dos novos números, mas voltou a subir até o final do pregão desta sexta-feira, fechando em alta de 1,52%.

Os negociadores decidiram concentrar suas atenções não nos dados sobre o desemprego, mas em números que mostram que a produção de bens manufaturados cresceu 2,2% em março – o melhor resultado nesse setor desde julho de 2002.

Alguns economistas acreditam que a taxa de desemprego vai continuar aumentando durante todo o verão no hemisfério norte – pois a melhoria dos índices econômicos costumam demorar a se refletir em novas contratações.