Desemprego no país continua alto

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de novembro de 2003 as 12:38, por: cdb

O desemprego no Brasil manteve-se elevado e o salário em queda em outubro, mostrando que o mercado de trabalho ainda não está reagindo à moderada retomada da economia, mesmo após os sucessivos cortes de juros. A taxa de desemprego medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficou estável em 12,9% no mês passado, a mesma leitura de setembro. O número encontra-se próximo do recorde de alta de 13% visto em junho e agosto.

Em mais uma notícia negativa para o setor, o IBGE informou que o rendimento médio real do trabalhador recuou 0,7% em relação a setembro e 15,2% contra outubro de 2002. Foi a oitava queda seguida na comparação anual.

Um analista ouvido pela Reuters acredita que o Natal seja o início da recuperação econômica (saiba mais aqui)
O desemprego aumentou 1,7 ponto percentual em relação a outubro de 2002, quando a taxa foi de 11,2%, acrescentou o instituto nesta quinta-feira. Por gênero, verificou-se uma taxa de 10,5% para os homens e 15,9% para as mulheres. No mês anterior, os valores foram de 10,4% e 16,1%, respectivamente.

Os dados do emprego são divulgados um dia após números do IBGE mostrarem que a economia brasileira não cresceu como o esperado no terceiro trimestre. O Produto Interno Bruto (PIB) avançou 0,4% em relação ao segundo trimestre, mas caiu 1,5% contra igual período de 2002. Analistas ouvidos pela Reuters previam em média um crescimento de 1,5% contra o segundo trimestre e de 0,1% em relação ao ano passado.

A economia brasileira foi bastante prejudicada pelo forte aperto monetário feito pelo governo, que abateu a atividade, a renda do trabalhador e gerou várias demissões.

Após um corte de juros de 9 pontos percentuais entre junho e novembro, os analistas esperavam que o emprego mostrasse uma recuperação no final do ano, ainda que lenta, já que este é um dos últimos setores a mostrar fôlego durante a retomada econômica.

O IBGE informou também que o número de pessoas procurando trabalho caiu 0,5% em relação ao mês anterior, para 2,77 milhões de pessoas. Na comparação com o mesmo período de 2002, houve alta de 21,7%, o que significa 494 mil pessoas a mais buscando emprego.

O número de pessoas ocupadas ficou praticamente estável, com leve queda de 0,4% em relação ao mês anterior, somando 18,63 milhões. Na comparação com outubro do ano passado, houve alta de 3,1%, o equivalente a 556 mil pessoas.