Desemprego na França cresce há três meses consecutivos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 2 de setembro de 2001 as 15:43, por: cdb

O número de desempregados na França cresceu pelo terceiro mês consecutivo, ao subir de 8,8 por cento em junho para 8,9 por cento em julho, refletindo a desaceleração da economia mundial.

Mas segundo a ministra do trabalho francesa, Elisabeth Guigou, os números no país ainda são melhores do que em muitos de seus vizinhos europeus, já que o crescimento do desemprego seria resultado direto da decisão da França de acabar com o serviço militar obrigatório e da entrada de recém-formados no mercado de trabalho.

“Não é um bom resultado”, afirmou Guigou, “Mas os prospectos para o futuro não são negativos.”

O número de pessoas buscando emprego aumentou em 39.600, para 2,373 milhões, no terceiro mês consecutivo de alta após 10 meses de queda.

O índice de desemprego na França caiu um ponto percentual em relação ao ano anterior, enquanto na Europa a queda foi de 0,6 ponto percentual.

Marc Touati, economista-chefe do Natexis-Banques Populaires, afirmou que a desaceleração no crescimento global prejudicou a confiança das empresas francesas, que relutam em contratar.

“Se continuarmos pessimistas, o consumo e a produção industrial serão afetados. A chave de manter o crescimento econômico é a confiança”, afirmou.

O primeiro-ministro da França, Lionel Jospin, fez do combate ao desemprego uma prioridade desde que chegou ao governo em 1997 e a taxa de desemprego tinha dois dígitos. Jospin impôs como meta um desemprego de 8,5 por cento até o fim de 2001, o que agora parece inviável.