Deputado pede debate sobre imunidade parlamentar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de fevereiro de 2007 as 12:08, por: cdb

O deputado reeleito Paulo Rubem Santiago (PT-PE) exibiu uma faixa no Salão Verde da Câmara, com a frase imunidade sim proteção ao crime não. A proposta do deputado é que a nova legislatura faça da discussão sobre imunidade parlamentar uma de suas bandeiras.
 
– Alguns se elegeram deputados para se proteger no Supremo de denúncias de crimes fiscais, financeiros, lavagem de dinheiro, improbidade administrativa. A imunidade parlamentar não foi feita para proteger criminoso – denunciou.
 
Santiago disse que o exemplo mais escandaloso é o do ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, que assume hoje como deputado. – Ele foi denunciado por corrupção, desvio e lavagem de dinheiro, crimes financeiros e vem como deputado transferir seu processo da Justiça de primeira instância para o Supremo – comparou ele.
 
Nesta quinta-feira começa no Plenário da Câmara a cerimônia de posse. Ao chegar, muitos dos deputados, acompanhados pelas famílias e amigos, não sabiam ainda como circular pelo interior do prédio e foram encaminhados ao plenário por servidores da Câmara.
 
Ex-deputados indiciados perdem foro privilegiado
 
As investigações sobre os parlamentares envolvidos pelo esquema de venda superfaturada de ambulâncias que não foram reeleitos passarão à competência da Justiça comum a partir desta sexta-feira, pois esses parlamentares deixarão de ter mandato e perderão o foro privilegiado. Até esta quinta-feira, as investigações sobre eles estão no Supremo Tribunal Federal (STF).
 
Na última quarta-feira a Polícia Federal (PF) indiciou mais seis deputados acusados de envolvimento no esquema. Os deputados Lino Rossi (PP-MT), Enivaldo Ribeiro (PP-PB), Marcos Abramo (PP-SP), Ildeu Araújo (PP-SP), Gilberto Nascimento (PMDB-SP) e João Batista (PP-SP) foram indiciados por crimes de formação de quadrilha, corrupção e lavagem de dinheiro.
 
Além desses deputados, 16 dos 118 parlamentares investigados já haviam sido indiciados na semana passada por envolvimento no esquema. Os indiciamentos são feitos pela força-tarefa montada pela PF para fazer as investigações.
 
Todos os parlamentares investigados são acusados de envolvimento no esquema de venda superfaturada de ambulâncias com recursos de emendas ao orçamento, liderado pelo dono da Planam, Luiz Antônio Vedoin. O deputado Lino Rossi, por exemplo, foi apontado pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas de ter iniciado o esquema no Congresso Nacional e de ter apresentado Vedoin a outros parlamentares.
 
Veja quais são os parlamentares indiciados:

Celcita Pinheiro (PFL-MT)
Lino Rossi (PP-MT)
Enivaldo Ribeiro (PP-PB)
Marcos Abramo (PP-SP)
Ildeu Araújo (PP-SP)
Gilberto Nascimento (PMDB-SP)
João Batista (PP-SP)
Jonival Lucas (PTB-BA)
Reginaldo Germano (PP-BA)
Neuton Lima (PTB-SP)
João Grandão (PT-MS)
César Bandeira (s.partido-MA)
Almeida de Jesus (PR-CE)
João Correia (PMDB-AC)
Júnior Betão (PR-AC)
Edna Macedo (PTB-SP)
Amauri Gasques (PR-SP)
Tetê Bezerra (PMDB-MT)
Vanderlei Assis (PP-SP)
Paulo Feijó (PSDB-RJ)
Nilton Capixaba (PTB-RO)
Senador Ney Suassuna (PMDB-PB)