Deputado paraguaio é preso após extorquir brasileiros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 14:29, por: cdb

O deputado da oposição paraguaia Julián Romualdo Sosa foi detido neste sábado, acusado praticar extorsão a um grupo de colonos brasileiros no leste do país. O legislador foi preso em Santa Rita, 450 quilômetros a sudeste de Assunção, por procuradores e policiais federais a partir da denúncia de imigrantes brasileiros que moram na região.

Sosa, que está em prisão domiciliar, resistiu à prisão e lutou com os agentes que o detiveram após receber 20 milhões de guaranis (2.900 dólares) no escritório do advogado dos denunciantes.

A soma faz parte de um montante de 20.000 dólares que os colonos brasileiros deveriam entregar ao legislador para que este evitasse, na Câmara dos Deputados, o confisco de 1.200 hectares de terra ocupados.

O deputado faz parte do Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), o principal da oposição. O legislador, acusado de “suborno passivo agravado, extorsão e resistência à prisão”, é o presidente da Comissão de Conforto Rural da Câmara Baixa e o dinheiro deveria ser dividido entre vários de seus colegas, segundo a imprensa local.

O PLRA reagiu de imediato e emitiu um comunicado no qual adiantou que solicitará a suspensão da imunidade parlamentar de Romualdo Sosa “para que seja submetido a um processo judicial a fim de esclarecer as responsabilidades e que o mesmo assuma de maneira pessoal as conseqüências jurídicas”.

O fato ocorre a menos de dois meses das eleições gerais no próximo dia 27 de abril, nos quais os paraguaios deverão escolher um novo chefe de Estado e renovar o Congresso e os governadores dos 17 estados do país.