Deputado liberal russo morto a tiros em Moscou

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 17 de abril de 2003 as 13:53, por: cdb

O deputado liberal russo Serguéi Yushenkov, foi assassinado a tiros essa quinta-feira, no noroeste de Moscou, informou a cadeia de televisão NTV.

Fontes do opositor partido Rússia Liberal, ao qual Yushenkov era filiado, disseram à rede que o legislador morreu após receber vários tiros no peito às 17h30min (09h30min de Brasília).

“O deputado chegou em sua casa, saiu do seu carro e, no caminho para a porta, foi assassinado”, informaram fontes da Administração do distrito Tushino de Moscou, cuja sede se encontra perto do local do assassinato.

No chão, junto ao corpo, foi encontrada a pistola usada no atentado, que teve a investigação assumida pelo chefe da Polícia de Moscou, Vladimir Pronin.

“Foi um assassinato político”, declarou num primeiro comentário oficial o presidente da Duma (câmara de deputados russa), Guennadi Selezniov.

O político acrescentou que o assassinato “é um sério aviso à sociedade, pois foi cometido justo no dia em que o Ministério da Justiça registrou oficialmente o partido Rússia Liberal” nas eleições parlamentares de dezembro.

O primeiro a dar a notícia do atentado contra Yushenkov foi um de seus assessores, avisado pelo chofer do parlamentar que estava no local do fato.

Yushenkov era um dos mais próximos colaboradores do magnata exilado Borís Berezovski, mal visto pelo Kremlin e patrocinador do partido Rússia Liberal.

Ha vários meses, Berezovski e Yushenkov se distanciaram depois de terem disputado o controle político no Rússia Liberal, sobretudo depois que o oligarca estabeleceu contatos com a oposição comunista visando às próximas eleições.

“Estamos perturbados. Não sabemos quem poderia se beneficiar da morte de nosso companheiro e quem poderia está por trás dela”, disse à imprensa Borís Zolotújin, co-presidente do partido.

O líder do Rússia Liberal disse ainda que Yushenkov “era um político limpo, que não estava enredado em intrigas nem tinha inimigos pessoais”.

Um comunicado do Kremlin dizia que o presidente Putin foi imediatamente informado sobre o atentado e as medidas policiais adotadas na investigação.

Este é o segundo atentado contra um político do Rússia Liberal. Em agosto passado, o deputado Vladimir Golovliov também foi vítima de um ataque, mas, naquela ocasião, a imprensa atribuiu o episódio a um ajuste de contas decorrente da ligação do legislador e empresário com criminosos.