Deputado entra com representação contra ex-diretor do Dnit

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 4 de setembro de 2012 as 14:11, por: cdb

O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), integrante da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira, entrou nesta terça-feira (4) com uma representação na Procuradoria Geral da República contra Luiz Antônio Pagot, ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutrura de Transporte (Dnit). Onyx pede que o ex-diretor seja responsabilizado judicialmente por vários crimes contra o patrimônio público.

Segundo o parlamentar, a denúncia foi feita com base no depoimento de Pagot à CPMI, na semana passada, em que o ex-diretor do Dnit admite ter pedido a empresas que prestavam serviço ao órgão federal doações para a campanha eleitoral da presidente Dilma Rousseff.

“Ele cometeu os crimes de compunção, corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e improbidade administrativa. Pagot foi atrás das empresas e, na minha visão, achacou, porque quem vai negar a contribuição para o diretor-geral do Dnit, se a empresa presta obra para o Dnit? É evidente que ele se valeu do cargo”, acusou Lorenzoni.

Em seu depoimento à CPMI, Luiz Antônio Pagot disse que fez os pedidos de doação de campanha porque não acreditava ser uma irregularidade. “Pedi porque acreditava que poderia contribuir para a continuidade do governo, porque achei que não estaria cometendo nenhuma ilegalidade”, afirmou.

A representação contra Pagot está no gabinete do procurador-geral da República, Roberto Gurgel. O Ministério Público Federal vai investigar a suspeita. A denúncia só será encaminhada à Justiça caso o órgão conclua que realmente houve crime por parte do ex-diretor do Dnit.

Reportagem – Ginny Morais/Rádio Câmara
Edição – Daniella Cronemberger