Definida a estrutura do 1º varejão noturno de Jundiaí

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 4 de abril de 2012 as 12:15, por: cdb

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento já tem pronta a estrutura do primeiro varejão noturno da cidade, que será aberto à população no dia 17 de abril, a partir das 18h, na praça em frente ao Parque Municipal Comendador Antonio Carbonari. Ao todo, 25 bancas vão oferecer opções para o consumidor fazer suas compras e experimentar diferentes gastronomias, já que parte dos espaços está destinada ao funcionamento de uma praça de alimentação.

Chrispim: transformar a ida às compras em algo prazeroso

Dessa forma, como informa o diretor de Abastecimento da Secretaria de Agricultura, Edílson Chrispim, a expectativa agora é em torno do primeiro dia de funcionamento, sensação experimentada também pelos permissionários que estarão atuando no local.

Segundo ele, haverá 25 bancas e a intenção é que o período de compras seja uma atividade prazerosa para o consumidor, que, pelo próprio horário, poderá comparecer com a família ao varejão.

“A partir desse varejão, vamos criar hábitos novos para o jundiaiense, pois será um centro de compras com opções diferenciadas, onde se poderá degustar lanches, sucos, doces e outros produtos gastronômicos”, aponta o diretor.

As 25 bancas serão divididas da seguinte maneira: seis trabalharão com hortaliças, frutas e legumes; duas de pastéis; uma de lanche; duas de caldo de cana; duas de laticínios e embutidos; uma de sucos naturais; uma de comida síria; uma de doces e chocolates; uma de churros; uma de milho verde e derivados; uma de churros crepes; uma de espetinhos; uma de condimentos e ervas; uma de massas caseiras e uma de comida japonesa. Por se tratar de bancas de gêneros alimentícios, todo o pessoal envolvido passou por preparação com a Vigilância Sanitária, onde obtiveram noções de higiene, conservação de alimentos e boas práticas.

Para o secretário de Agricultura, Jorge Yatim, esse varejão pode ser uma experiência positiva com viés na realização de outros, em dias diferentes. “Vamos ter um período de avaliação. Se a demanda comportar, podemos pensar em outro dia da semana e em um outro local”, comenta.

Foto: Dorival Pinheiro Filho