Defesa tricolor entrega o ouro no Maracanã

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de outubro de 2002 as 00:18, por: cdb

O Fluminense jogou com um a menos desde o início do segundo tempo, vencia o Goiás por 2 x 1, mas sofreu o gol de empate no final da partida desta quarta-feira, no Maracanã. Romário foi o destaque e marcou os dois gols do Tricolor, que alcançou 25 pontos na tabela, encostando no grupo de elite. Já o Goiás foi para 24 pontos.

Ao contrário de domingo, quando começou a partida contra o Bahia com o freio de mão puxado, o Fluminense foi para cima do Goiás desde o início. Renato Gaúcho impôs uma marcação sobre pressão, mas foi o time goiano quem teve a primeira oportunidade clara de gol.

Aos 8min, Evair aproveitou uma bobeira da defesa tricolor e tocou para Araújo em profundidade. O rápido atacante entrou livre na área do Fluminense, mas chutou para fora. Pouco depois, foi a vez de André Cruz assustar Kléber com uma cobrança de falta perigosa, para fora.

O Tricolor respondeu com uma bomba de fora da área de Fernando Diniz aos 20min, que raspou o travessão. O time passou a dominar a partida e, aos 22min, quase abriu o placar. Zada fez grande jogada pela ponta direita, entrou livre na área, mas preferiu tocar para trás. Roni chutou, o goleiro bateu-roupa e a bola sobrou para o mesmo Zada. O meia tocou para o gol e Fabão salvou o Goiás.

Mas o Fluminense tem Romário. Aos 26min, ele recebeu um passe de Roni, passou por três adversários e chutou de canhota, para marcar seu décimo gol no Campeonato Brasileiro. O Baixinho começa a alcançar os artilheiros da competição – Dimba e Rodrigo Fabri – que têm 14 gols.

Foi só o Tricolor marcar o gol que Araújo e Evair passaram a bombardear o goleiro de Kléber. Aos 38min, depois de um erro grosseiro de Fabinho, Araújo driblou Andrei e o goleiro Kléber, mas chutou em cima de César, que salvou o gol do empate em cima da linha. Somente aos 42min, o Goiás conseguiu marcar. Evair deu um passe açucarado para Araújo, que chutou sem defesa para Kléber.

A torcida Tricolor quase foi ao desespero aos 4min da etapa final. Andrei deu um carrinho criminoso no campo de ataque em Evair e foi expulso. Com apenas um zagueiro, Renato Gaúcho foi obrigado a promover uma alteração (entrou o zagueiro Zé Carlos no lugar de Zada) e foi agraciado com um coro nada original: “Burro! Burro! Burro!”.

O Goiás, que parecia feliz com o empate fora de casa, passou a dominar a partida. Aos 10min, Danilo acertou o travessão de Kléber. Aos 19min, Jéferson Feijão, que havia acabado de entrar em campo no lugar de Marabá, chutou forte, de sem-pulo. Mas Kleber salvou o Fluminense com uma defesa espetacular.

Na medida em que o tempo passava, o jogo ia ficando cada vez mais nervoso. Parecia que o time goiano poderia marcar o gol da vitória a qualquer momento. Mas o Fluminense tem Romário…

Aos 27min, o lateral Neném falhou na frente do craque e este não perdoou. Chutou rasteiro, sem defesa para Harlei: Fluminense 2 x 1. Quando o placar parecia definido, Araújo deu de calcanhar para Danilo, que chutou para o fundo da rede tricolor.

FLUMINENSE 2 x 2 GOIÁS

Fluminense
Kleber; Flávio, César, Andrei e Alonso (Yan); Fabinho, Marcão, Zada (Zé Carlos) e Fernando Diniz (Marciel); Roni e Romário
Técnico: Renato Gaúcho

Goiás
Harlei; Neném, Fabão, André Cruz e Zé Carlos; Josué, Túlio, Marabá (Jéferson Feijão) e Danilo; Evair (Bismarck) e Araújo
Técnico: Nelsinho Baptista

Data: 23/10/2002 (quarta-feira)
Local: Maracanã
Público: 9.841 pagantes
Renda: R$ 76.473
Juiz: Alício Pena Júnior (MG)
Cartões amarelos: Andrei, Alonso, Romário e Marcão (Flu); Zé Carlos, Neném e Josué (Goiás)
Cartão vermelho: Andrei (Flu)
Gols: Romário, aos 26min e Araújo, aos 42min do primeiro tempo; e Romário, aos 27min e Danilo, aos 43min do segundo tempo