CÚPULA DO MERCOSUL COMEÇA COM OTISMISMO

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de dezembro de 2012 as 14:42, por: cdb

BRASÍLIA, 7 DEZ (ANSA) – A Cúpula de chefes de Estado do Mercosul começou nesta sexta-feira com otimismo por parte do bloco, boas vindas à Bolívia, que se tornou membro permanente, e criticas à exclusão temporária do Paraguai.
   
A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, iniciou a reunião afirmando que o Mercosul tem o “desafio” de aumentar o seu comércio e a capacidade de exportar, não só matérias primas, mas também produtos industrializados. Dilma destacou a necessidade de um avanço regional na “infraestrutura de integração”.
   
Para o presidente uruguaio, José Mujica, existe um “clima mais favorável” para negociações entre o bloco sul-americano e a Europa. “A situação da Europa possivelmente cria um paradoxo de que agora existem melhores condições para poder negociar, coisas que não se podia no passado”, explicou Mujica.
   
O ingresso da Bolívia como membro pleno do Mercosul teve repercussão positiva entre os já membros do bloco. Dilma afirmou que a entrada do país deixa o Mercosul “mais forte”.
   
O vice-ministro do Comércio Exterior da Bolivia, Pablo Guzmán, disse que “estamos subindo no trem em um momento que poderemos contribuir com esse fluxo comercial que iremos ver em todo o mundo”.
   
Outro tema tratado durante a reunião foi a exclusão temporária do Paraguai devido ao impeachment sofrido pelo ex-presidente Fernando Lugo.
   
Dilma disse que espera uma volta à “normalidade democrática” para que o Paraguai reintegre o bloco. “Aguardamos o pronto retorno do Paraguai, descartando medidas que dificultem as relações comerciais com esse país”, defendeu a presidente.
   
O presidente paraguaio, Federico Franco, disse que tudo que for decidido na reunião do Mercosul, sem a presença do Paraguai será “ilegal e ilegítimo”. “Nossa posição é clara, tudo que aconteceu no Paraguai foi constitucional”, afirmou. (ANSA)