Cuba lembra centenário de escritor antes marginalizado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 3 de junho de 2011 as 10:11, por: cdb

Cuba saldará uma de suas “maiores dívidas” culturais ao comemorar o centenário do nascimento de Virgílio Piñeral, um de seus escritores mais importantes, marginalizado nos anos 1970 por ser homossexual, informou nesta quinta-feira o jornal Granma.
“Uma das maiores dívidas da cultura cubana será saldada com estes festejos. daremos a ele o lugar que merece dentro da cultura da ilha”, disse o presidente da comissão organizadora das homenagens, o escritor Antón Arrufat, amigo e agente literário de Virgílio.

Virgílio Piñeral era dramaturgo, poeta, novelista e crítico. Morreu de infarte em 1979 aos 67 anos, em meio a um ostracismo editorial e público. A comissão, presidida por Arrufat, começou a celebração que será concluída em agosto de 2012, quando o centenário for completado, com atividades acadêmicas, reedição de obras, publicação de textos inéditos e apresentações de teatro e dança.

Autor da famosa peça teatral “Electra Garrigó”, Piñera é considerado o mais importante dramaturgo de Cuba, apesar de também ter escrito romances, 10 livros de contos e seis de poemas. Morou em Buenos Aires de 1946 a 1958, quando regressou a Cuba depois da vitória da revolução, onde colaborou com a imprensa, dirigiu editoras e publicou obras até 1971.

Com O Povo