Cruzeiro vence o Vasco por 2 a 1

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de maio de 2003 as 22:40, por: cdb

Como reza a tradição entre eles, Cruzeiro e Vasco fizeram uma partida disputada com várias alternativas. A Raposa fez valer sua invencibilidade de mais de seis meses e venceu o Vasco, por 2 x 1, nesta quarta-feira, no Mineirão, e saiu na frente no jogo de ida das quartas-de-final da Copa do Brasil.

Com o resultado, o Cruzeiro assegurou a vantagem do empate na partida de volta, na próxima semana, em São Januário. Além disso, o time mineiro se classifica às semifinais se vencer por 3 x 2, 4 x 3 e assim por diante. O Vasco se garante se vencer por 1 x 0, já que fez um gol no Mineirão.

Num ritmo de clássico, o Cruzeiro tentou assumir o comanda da partida, mas o Vasco não se intimidou e segurou o ímpeto dos donos da casa, principalmente com Marques. O atacante vascaíno, que defendeu o Atlético-MG por cinco anos e conhece bem o Mineirão, começou infernizando o zagueiro Thiago, que perseguia o ex-atleticano.

Logo aos 8min a torcida do Cruzeiro levou a mão à cabeça. O zagueiro Luisão, da Seleção Brasileira, sentiu uma forte dor na coxa direita e foi substituído pelo volante Márcio. Com isso, o técnico Wanderley Luxemburgo voltou ao tradicional esquema 4-4-2, abandonando os três zagueiros.

Quando o Vasco endurecia o jogo no Mineirão, a Raposa conseguiu abrir o placar numa boa trama da equipe, aos 14min. Recife lançou Alex na área, que tocou de cabeça para Aristizábal mandar, livre, para o fundo das redes. o time celeste passou a tocar a bola e assumiu o domínio do jogo.

Dando sinais de ter sentido o gol, o Vasco surpreendeu o Cruzeiro num contra-ataque e empatou a partida aos 26min, calando o Mineirão. Marques tabelou com Danilo e tocou na saída de Gomes. Com o gol, o time cruzmaltino equilibrou novamente o jogo.

Mas aos 44min Deivid fez boa jogada pela direita e rolou para a área do Vasco. O lateral-direito Russo cortou mal e a bola sobrou para Alex que, livre, bateu de perna direita para o fundo das redes.

O segundo tempo começou morno e a pressão tão esperada do Cruzeiro não aconteceu. O Vasco, mesmo desfalcado de Marcelinho, não dava moleza para o anfitrião, marcando forte e saindo nos contra-ataques. O meia Alex chegou a pedir o apoio da torcida celeste, que sentia a dificuldade da partida.

Com 30min de jogo, Luxemburgo resolveu arriscar e colocou mais um atacante. O cearense Mota entrou no lugar do volante Márcio, que havia substituído a Luisão. Mas a mudança não surtiu efeito e a Raposa não conseguiu ampliar o placar.

O Vasco jogou nos contra-ataques e, no final, segurou bem a pressão dos donos da casa, que por pouco não marcou com Aristizábal aos 48min, obrigando o goleiro Fábio a fazer grande defesa.

CRUZEIRO 2 X 1 VASCO

Cruzeiro
Gomes, Luisão (Márcio) (Mota), Edu Dracena e Thiago; Maurinho, Recife, Sandro, Alex e Leandro (Wendell); Deivid e Aristizábal
Técnico: Wanderley Luxemburgo

Vasco
Fábio; Wescley, Rogério Corrêa, Wellington Paulo; Russo, Igor (Henrique), Léo Lima (Da Silva), Danilo e Wellington Monteiro; Marques e Souza (Carlinhos)
Técnico: Antônio Lopes

Data: 6/5/2003 (quarta-feira)
Local: Mineirão
Público: 28939 pagantes
Renda: R$ 238.529,00
Juiz: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Cartão amarelo: Wescley, Marques (Vasco); Thiago, Márcio (Cruzeiro)
Gols: Aristizábal, aos 14min, Marques, aos 26min, Alex, aos 44min do primeiro tempo