Cruzeiro quer US$ 380 mil do Real Madrid

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 18 de janeiro de 2003 as 12:03, por: cdb

O Cruzeiro quer receber um percentual pela venda do atacante Ronaldo da Internazionale de Milão para o Real Madrid, realizada no ano passado. Seguindo uma norma recente da Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), o a Raposa cobra US$ 380 mil, por ser o clube formador do atleta, vendido em 1994 ao PSV Eindhoven, da Holanda.

O advogado Ildeu da Cunha Pereira, que assumiu a superintendência jurídica do clube na gestão de Alvimar de Oliveira Costa, explicou que a ação junto à FIFA já tramita há 90 dias.

O Cruzeiro é representado pelo advogado Ivandro Sanchez, especialista em direito internacional, do escritório Machado Meyer Sendacz & Opce, que está negociando diretamente com o Real Madrid a indenização reivindicada pelo clube mineiro.

Mesmo com Ronaldo tendo sido negociado há quase nove anos, e passado, depois do PSV Eindhoven, por Barcelona, entre 1996 e 97, Internazionale, entre 1997 e 2002, o clube celeste argumenta que o direito ainda está valendo.

“A FIFA decidiu proteger o clube formador do atleta, e esse é o direito que o clube pode exercer uma vez, mesmo após o jogador ser renegociado. Até o São Cristóvão (clube que Ronaldo defendeu antes de vir para o Cruzeiro, aos 16 anos) tem direito a um percentual”, observou Ildeu da Cunha.

O presidente do Cruzeiro, Alvimar de Oliveira Costa, disse que o clube quer solucionar a situação com o Real Madrid na base da negociação, sem precisar recorrer à Justiça. “O Cruzeiro quer resolver de forma pacífica”, ressaltou o dirigente, revelando que chegou a sondar o atacante Rodrigo Fabri.

Segundo Alvimar Perrella, como é mais conhecido, o jogador poderia ser emprestado à Raposa, reduzindo o valor da indenização, mas o dirigente informou que Rodrigo Fabri tem contrato até junho com o Grêmio e por isso não interessa ao Cruzeiro.

“O Rodrigo Fabri seria uma ótima opção, mas ele tem contrato até junho com o Grêmio e vai disputar a Copa Libertadores”, acrescentou.