Cruzeiro pode conquistar título inédito neste domingo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 23 de novembro de 2003 as 00:39, por: cdb

No jogo mais importante da 43ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Paraná Clube recebe o Cruzeiro no domingo, às 16h, no Pinheirão. A importância da partida está no fato de que a Raposa, dependendo de uma combinação de resultados, pode sagrar-se campeã brasileiro da temporada 2003. Os mineiros precisam vencer os paranaenses e torcer para que o Fluminense ganhe do Santos, na Vila Belmiro. Com isso, o Cruzeiro ficaria com 91 pontos e 28 vitórias, enquanto o Peixe só poderia chegar a 91 pontos e 27 vitórias.

O Paraná Clube, porém, tem motivos de sobra para impedir a festa cruzeirense. Primeiro, porque briga por uma vaga na Copa Sul-americana. Invicto há 9 rodadas, o tricolor ocupa o 9° lugar, com 61 pontos, e pelos seus cálculos se chegar a 67 pontos garante a participação no torneio internacional. Outra motivação do clube se relaciona ao fato de que está voltando a atuar no Pinheirão, após 4 meses. O estádio foi remodelado para receber a Seleção Brasileira, que na quarta-feira empatou por 3 x 3 com o Uruguai, e o Paraná espera receber um público superior a 20 mil pessoas.

Mas há um clima de guerra envolvendo esta partida. O fato de o Paraná ter vetado o Pinheirão para que o Cruzeiro treinasse gerou estresse entre a diretoria tricolor e o técnico Vanderlei Luxemburgo. Revoltado, o treinador propôs um corte na relação entre os dois times. Sem o estádio da Federação Paranaense, o técnico orientou treinos no CT do Caju e no Couto Pereira. Num deles enfrentou juniores do Iraty, derrotando-os por 3 x 2.

No quesito escalação, Luxemburgo tem mais problemas do que seu colega paranista, Saulo de Freitas. O volante Recife, suspenso, é substituído por Felipe Melo. No ataque, as dores musculares de Mota podem dar vez para Márcio Nobre, ex-jogador do Paraná. A compensação é o retorno de Edu Dracena, ausente por cinco jogos, saldo de uma cotovelada em Alex Alves no clássico contra o Atlético Mineiro.

Saulo, por sua vez, conta com a volta do goleiro Flávio, recuperado de uma lesão na coxa direita. Nas outras posições, ele mantém o time que vai tentar chegar a 10 jogos de invencibilidade.

O jogo tem um outro atrativo, que se refere à briga pela artilharia. O atacante paranista Renaldo, com 27 gols, espera se aproveitar da suspensão de Luís Fabiano para encostar em Dimba, o qual ele considera seu maior oponente. O goleador do Goiás tem 29 gols, mesmo número do são-paulino.

PARANÁ x CRUZEIRO

Data: 23/11/2003 (domingo)
Local: Pinheirão, em Curitiba
Horário: 16h
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (Fifa-RJ)
Assistentes: Manoel do Couto Ferreira Pires (RJ) e Carlos Henrique Alves Lima (RJ)

Paraná
Flávio; Valentim, Ageu, Cristiano Ávalos e Fabinho; Fernando Miguel, Pierre, Marquinhos e Fernandinho; Caio e Renaldo
Técnico: Saulo de Freitas

Cruzeiro
Gomes; Maurinho, Cris, Edu Dracena e Leandro; Felipe Melo, Maldonado, Wendell e Alex; Mota (Márcio Nobre) e Aristizábal
Técnico: Vanderlei Luxemburgo