Cruz Vermelha analisa situação do voluntariado na América Latina

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 24 de novembro de 2003 as 11:56, por: cdb

A situação do voluntariado é analisada pelos presidentes das organizações da Cruz Vermelha na América Latina reunidos nesta segunda-feira, na cidade espanhola de Ávila.

Na reunião, os representantes da Cruz Vermelha de 35 países expõem a situação do voluntariado em cada um de seus Estados, com o fim de elaborar “o documento que descreva a realidade deste fenômeno de participação social”.

Assim expressou hoje o presidente da organização da Cruz Vermelha na Espanha, da Federação Internacional dessa entidade e do Crescente Vermelho, Juan Manuel Suárez del Toro.

Acrescentou que na reunião se tentará elaborar a “Declaração de Ávila”, que será levada à assembléia geral da federação da entidade em Genebra.

Del Touro destacou a função dos voluntários, que propiciam “a proteção da dignidade humana”.

-Os voluntários supõem vontade de mudança em um mundo no qual há muitos setores que precisam de ajuda – enfatizou.

No mesmo sentido, se expressaram o presidente da Cruz Vermelha na Bolívia e da sociedade americana da organização, Abel Peña, e Kenneth Monplaisir, presidente da Cruz Vermelha em Santa Lúcia e da sociedade caribenha.

Destacaram que esta reunião é “um fórum de cooperação e aprendizagem” e de intercâmbio de experiências entre as distintas organizações da Cruz Vermelha no continente americano.

Os responsáveis de cada país apresentarão “as propostas de melhora de ação voluntária” que depois serão analisadas em grupos de trabalho e que depois de uma análise poderão fazer parte das conclusões finais.

A reunião de Ávila, que termina amanhã, reúne representantes da Cruz Vermelha do Brasil, da Argentina, Bolívia, do Canadá, Chile, da Colômbia, Costa Rica, de Cuba, República Dominica, Equador, El Salvador, Estados Unidos, Guatemala, Haiti, Honduras, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela, entre outros países.