Cristovam garante escola fundamental em tempo integral até 2010

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de novembro de 2003 as 20:23, por: cdb

O ministro da Educação, Cristovam Buarque, garantiu nesta terça-feira que até 2010 as escolas públicas do ensino fundamental terão turno integral. Já os alunos do ensino médio, deverão freqüentar escola durante todo o dia a partir de 2015, se a meta do atual governo for executada.
Para Cristovam, o Projeto Segundo Tempo, desenvolvido em parceria com o Ministério dos Esportes, já é um “piloto” para o turno integral. “Não é completa a escola que oferece quatro horas de aula por dia”, criticou o ministro, durante cerimônia de assinatura de convênio com o ministro dos Esportes, Agnelo Queiroz.

Para Cristovam, as escolas devem oferecer cultura e complementação de estudos aos alunos, além de atividades esportivas. O ministro, tido como um dos maiores chorões por recursos da Esplanada, aposta que a escola integral é um “projeto que vai dar para fazer sim”, mesmo sem verbas extraordinárias, utilizando criatividade e os recursos disponíveis.

Um exemplo, disse, é a união dos recursos dos ministérios da Educação e do Esporte para desenvolver o programa Segundo Tempo. O projeto já funciona em 543 escolas públicas urbanas em áreas de risco social. Segundo o ministro, 146 mil alunos já permanecem na escola, além do horário regulamentar, pelo período da tarde em que recebem reforço alimentar e treinamento esportivo.

O ministro Agnelo informou que o Ministério do Esporte investirá ainda neste ano R$ 11 milhões no programa e, para o próximo, projeta-se cerca de R$ 40 milhões. Ele observa que os ministérios de Segurança Alimentar e o da Justiça também participam do projeto dando, respectivamente, merenda e material esportivo aos alunos.

Uniforme

O Diário Oficial publica nesta quarta edital de licitação para contratar empresas que fabricarão os 500 mil kits de uniformes para alunos da 1.ª a 8.ª série.

Cada aluno receberá camiseta, bermuda ou saia, meias, calçados, mochilas para ir às escolas, além de camiseta regata, calcão ou bermuda bailarina para usar nas aulas de educação física.

O ministro Cristovam considera o uniforme fundamental para igualar os alunos e fazer com que eles se identifiquem pelo menos nas roupas.