Criação artística de Beja sem qualquer apoio do Estado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 4 de abril de 2012 as 08:39, por: cdb

A Direção-Geral das Artes anunciou a 16 de Março um corte de 100 por cento nos apoios anuais e pontuais a projetos artísticos. Das 22 estruturas apoiadas na região do Alentejo, em Beja apenas a Lendias d’Encantar e a Arte Pública recebiam apoio.Artigo |4 Abril, 2012 – 15:36Catarina Martins reuniu com agentes culturais de Beja a 19 de março de 2012 – Imagem de cartazes de Arte Pública e de Lendias de Encantar

Em 2011 foram apenas duas as estruturas de criação artística na cidade de Beja a receber o apoio da Direção-Geral das Artes. A associação Lendias d’Encantar recebeu um apoio anual no valor de cerca de 30 mil euros, ao passo que a Arte Pública – Artes Perfomativas de Beja contou com um apoio pontual de 10 mil euros. Com o corte anunciado a cidade fica sem qualquer qualquer companhia ou estrutura de criação artística apoiada pelo Estado.

Segundo a Lendias d’Encantar “os cortes da Direção-Geral das Artes coloca em risco a oferta cultural e artística de Beja”. A deputada bloquista Catarina Martins considera “inadmissível que o Estado se alheie de fazer cumprir o que em matéria de Cultura está salvaguardado na Constituição da República Portuguesa”. Segundo a deputada e atriz, “não existir qualquer tipo de apoio por parte do Estado no setor cultural de Beja é não assegurar o acesso de todos os cidadãos aos meios e instrumentos de ação cultural e nada querer fazer no sentido de corrigir as assimetrias existentes no país em tal domínio”.

Beja é hoje uma capital de distrito onde as estruturas culturais existentes não têm qualquer apoio por parte do Estado.

A 28 de Março o Bloco de Esquerda questionou o Secretário Estado para a Cultura acerca desta situação. Aceda à pergunta na íntegra.

Artigos relacionados: Catarina Martins reúne com agentes culturais de Beja