Crescimento do Brasil poderá ser negativo este ano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 21 de agosto de 2001 as 18:40, por: cdb

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deverá apresentar variação negativa nos próximos meses e chegar no fim do ano sem crescimento. A avaliação é do diretor do Instituto Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Antônio Porto Gonçalves. Segundo o economista, além da conjuntura interna, não há sinais de reversão no quadro de desaceleração das economias internacionais, como a americana e japonesa. “Acho que o terceiro e quarto trimestres vão ser bastante ruins”, analisa o economista. Na sua avaliação, a economia está afetada pelo racionamento de energia e taxas de juros, junto ao cenário externo. Por isso, prevê “crescimento” zero para 2001.

A análise de Porto Gonçalves se baseia na resultados da sondagem conjuntural feita pelo Ibre, cujos resultados sinalizaram, claramente, retração da atividade. “Se o PIB tiver crescimento zero é pior do que a estagnação, porque a economia vem de um crescimento alto no ano passado e projetava outro para este ano. No futuro imediato, é muito grande a chance de resultado negativo no terceiro trimestre”, complementou o chefe do Centro de Estatísticas e Análises Econômicas do Ibre, Salomão Quadros.

Na semana passada, o Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE) divulgou que o PIB no segundo trimestre caíra 0,99%, comparado ao do primeiro, e avançara apenas 0,79%, com relação ao ano passado. Nos seis primeiros meses do ano, o PIB registrou crescimento de 2,49%. Segundo o diretor do Ibre, os resultados da sondagem conjuntural da FGV já demonstravam sinais de retração da atividade. “Previa uma queda muito forte da demanda”, disse Porto Gonçalves.