Credores argentinos querem unir forças

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 4 de outubro de 2004 as 11:40, por: cdb

Detentores internacionais de bônus da dívida da Argentina assinaram um acordo preliminar para juntar forças com investidores locais com o objetivo de pressionar o governo em torno de uma melhor proposta de renegociação, disse um representante.

A tentativa fracassada da Argentina de repagamento estourou novamente esse final de semana durante a reunião do Grupo dos Sete (G7), que pediu ao país uma “rápida conclusão” para o impasse.

Buenos Aires declarou moratória da dívida de US$ 100 bilhões quando o país entrou numa espiral recessiva. Desde então, os detentores da dívida do país vêm brigando para reaver o dinheiro, mas, até o momento, continuam rejeitando a oferta de reestruturação argentina.

Os detentores de bônus dizem que agora que a economia argentina está crescendo fortemente, é de se esperar que o país tenha espaço para elevar sua oferta.

– No ano passado, a Argentina quase dobrou suas reservas, as exportações aumentaram… e (o país) está a caminho de um superávit de 4,0 por cento – disse Nicola Stock, co-chairman do grupo internacional de detentores de bônus (GCAB, na sigla em inglês).

Stock disse que o ADAPS, o maior grupo de investidores argentinos, assinou um acordo para se tornar parte do GCAB. Stock espera que com o acordo, os investidores possam colocar mais pressão no governo argentino para que o país melhore sua oferta, que os credores dizem chegar a apenas 23 a 25 centavos por dólar da dívida.