CPI investiga sonegação em empresas de cigarros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 13 de setembro de 2003 as 10:11, por: cdb

A CPI da Pirataria solicitou nesta sexta-feira à Receita Federal o histórico de 12 fábricas de cigarros para verificar se elas estão recolhendo impostos conforme a Lei. O primeiro vice-presidente da comissão, Júlio Lopes (PP-RJ), aguarda resposta sobre o pedido de quebra de sigilo fiscal dessas empresas, entre elas Philip Morris, Souza Cruz, Itaba, Sulamericana, American Virgínia, Cabofriense, Cibrasa, Felton Indústria e Comércio de Cigarros, MW Tabacaria e Tabacolt Comércio de Cigarros.

Conforme Lopes, a Philip Morris e a Souza Cruz pagam 99,2% do IPI cobrado do setor e dominam 88% do mercado de cigarros. O deputado destaca que as outras dez empresas sob investigação pagam apenas 0,2 % do IPI, o que na sua avaliação indica sonegação fiscal.

Júlio Lopes destacou ainda que a CPI vai convocar o acusado de ser o maior contrabandista de cigarros do País, Roberto Eleutério da Silva, conhecido como Lobão. Segundo o deputado, ele deverá para falar sobre distribuição e transporte de cigarros falsificados.

Lobão foi preso no início do mês, na capital paulista, em operação da Polícia Federal em São Paulo e do Ministério Público Federal.