CPI da Alerj volta a apurar venda de sentenças judiciais no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 4 de março de 2010 as 11:38, por: cdb

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Rio criada para investigar denúncias de tráfico de influência e venda de sentenças judiciais no processo eleitoral realizará uma reunião nesta quinta-feira, às 14h, na sala 311 do Palácio Tiradentes.

O objetivo é ouvir o empresário e estudante de Direito Eduardo Raschkovsky. Desde o dia 8 de novembro de 2009, a imprensa vem fazendo uma série de reportagens sobre a existência de um esquema comandado por Raschkovsky, denunciando que ele abordava políticos, empresários e tabeliães, oferecendo sentenças e outras facilidades em troca de vantagens financeiras.

O empresário teria pedido, a políticos, quantias que variavam de R$ 200 mil a R$ 10 milhões para livrá-los do risco de impugnação ou cassação do mandato. O presidente da CPI, deputado Paulo Ramos (PDT), disse que, se Raschkovsky continuar insistindo em não comparecer, a convocação será mais rigorosa.

“Ele já apresentou atestado e pediu para ser ouvido como investigado ao invés de vir como testemunha. A pretensão inclusive já foi acolhida. É importante que ele venha e estou convencido de que virá”, ressaltou o parlamentar.

Desta forma, Raschkovsky – principal suspeito de intermediar a transação – não será obrigado a fazer juramento nem a responder perguntas. Quem tiver conhecimento de qualquer negociação ou venda de decisões judiciais, tais como extorsão e práticas ilícitas, que possam ajudar a comissão a colher resultados deve entrar em contato com a CPI através do número 0800 282 5888. O serviço funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 17h.