Corrida pelo Oscar se complica

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 15 de outubro de 2003 as 17:59, por: cdb

A Motion Pictures Association of America (MPAA), órgão que regulamenta a industria cinematográfica nos EUA, decidiu proibir uma das mais utilizadas táticas de promoção feita pelos estúdios: o envio de DVD dos filmes que estão sendo lançados a membros votantes de prêmios. Essa medida combinada com a mudança de calendário da Academia de Artes e Ciencias Cinematográficas, que distrinui o Oscar, adiantando a cerimonia em um mês vem causando muita confusão na terra do Tio Sam.

A decisão da MPAA foi justificada pelo presidente da entidade, Jack Valenti, como sendo uma medida contra a pirataria. Segundo Valenti, na campanha para o Oscar de 2003, os 5800 membros da Academia receberam 68 DVDs dos quais 34 filmes foram pirateados antes mesmo de chegar aos cinemas. A determinação vem sendo fortemente atacada pelos executivos dos estúdios e pela Screen Actor Guild e Writers Guild of America, que chegaram a publicar na quarta-feira um anúncio contendo 350 nomes no Daily Variety, um dos jornais especializados em cinema mais respeitados dos EUA. Essa atitude fez com que Jack Valenti marcasse uma reunião com os chefes dos estúdios para tentar encontrar um alternativa para o problema.

Valenti vem dizendo na imprensa americana que a proibição é um choque na industria da pirataria e que toda a reclamação que se seguiu só acontece porque os membro da academia são “muito preguiçosos”. Na verdade todo o barulho que está sendo feito faz parte do desespero que tomou conta dos responsáveis pelas campanhas de marketing dos estúdios. Há poucos meses da corrida por prêmios, com as campanhas já estruturadas, descobriram que teriam um mês a menos para a divulgação e que não poderiam contar com a sua principal estratégia, o envio dos filmes em DVD para a casa dos membros votantes das premiações, principalmente o Oscar.

O que acontecia nos anos anteriores era que todos os membros da Academia recebiam os DVDs em meados de novembro e tinham até o começo de fevereiro para decidir em quem votar para um indicação e até o começo de março para esolher o seu favorito. Agora tudo ficou mais complicado, os estúdios estão tentando criar soluções para o problema. A Fox alugou um cinema em Los Angeles e fará sessões toda a quinta-feira até o dia do lançamento, em 26 de novembro, de seu “In America“. Já a Sony disponibilizou um telefone para que sejam marcadas sessões de seus lançamentos respeitando a agenda dos membros da Academia. Essas são soluções emergenciais, mas que não vão resolver o principal problema dos estúdios. como fazer com que os membros da Academia saiam de casa para assistir os filmes? Essa é uma questão que os responsáveis pelo marketing dos estúdios estão acostumados a lidar, é o que eles fazem para convencer o público de ir ao cinema, mas aqui tem muito mais em jogo e o público é bem mais exigente.