Corinthians empata em Salvador

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 14 de novembro de 2002 as 00:05, por: cdb

Em uma das piores partidas do Campeonato Brasileiro, Bahia e Corinthians pouco criaram, finalizaram e erraram muito. Por isso, ficaram no 0 x 0. A partida, disputada nesta quarta-feira, na Fonte Nova, desagradou os torcedores tricolores e alvinegros, que vaiaram as equipes.

O resultado não foi ruim ao Timão, que chegou aos 42 pontos e está perto de garantir um lugar entre os quatro melhores times da competição. Na próxima fase, trata-se de uma vantagem considerável.

Em compensação para o Bahia, o placar manteve o time perto do rebaixamento à segunda divisão. Com 27 pontos, o Tricolor definirá na última rodada, marcada para o domingo, se permanecerá na elite do futebol pentacampeão.

Apoiado pelos torcedores, o Tricolor – com a equipe completa – cumpriu o que havia prometido durante a semana e partiu para cima dos paulistas. Mas a pressão durou apenas alguns minutos.

Mesmo sem Doni, Renato (suspensos) e Guilherme (poupado), o Corinthians conseguiu ditar o ritmo do clássico quando passou a tocar a bola. A tática de “cozinhar” o adversário irritou os jogadores baianos.

A novidade do técnico Carlos Alberto Parreira foi a entrada de Marcinho. Leandro, o mais cotado para substituir Guilherme, ficou no banco de reservas.

Tecnicamente a partida foi muito fraca. Os times pouco finalizaram e não ofereceram muitas emoções. O Corinthians ameaçava com Gil, que mais uma vez, teve liberdade para atacar pelos lados do gramado.

Geraldo, do Bahia, incomodava porque fazia lançamentos, finalizava e constantemente aparecia livre dentro da área. Aos 16min, o meia driblou Rogério e chutou forte. A bola estufou a rede, mas pelo lado de fora. Róbson também deu trabalho a Rubinho. Porém o goleiro levou vantagem.

No primeiro tempo, muitos passes errados, correria, impedimentos e falta de pontaria. “Precisamos acertar o último passe”, disse Rogério antes de descer para os vestiários. “O Bahia está melhor”, devolveu Candinho.

E foi o lateral corintiano, aos 17min da etapa complementar, que esteve muito perto de abrir o placar. Após uma rápida tabela, o jogador ficou frente a frente com Émerson mas chutou em cima do goleiro.

Bastou esta jogada para o Corinthians voltar a dominar a partida. Tanto, que apenas os gritos dos torcedores paulistas eram ouvidos na Fonte Nova. Os baianos tentavam responder com assovios, quando o time da casa era atacado.

Aos 27min, Juliano recebeu bom passe dentro da área mas finalizou sem força. Enquanto isso o Tricolor, desarrumado, tentava encaixar contra-ataques.

Em uma dessas jogadas, Bebeto Campos, na cara do gol, chutou por cima. A torcida foi ao desespero; eram passados 30min de partida. No finalzinho, em duas cobranças de falta (Róbson e Geraldo), os donos da casa desperdiçaram suas últimas esperanças.

BAHIA 0 x 0 CORINTHIANS

Bahia
Emerson; Daniel, Valdomiro, Marcelo Souza e Calisto; Bebeto Campos, Ramalho, Jair e Geraldo; Róbson e Nonato (Nilson)
Técnico: Candinho

Corinthians
Rubinho; Rogério, Fábio Luciano, Ânderson e Kleber; Fabinho, Vampeta e Juliano; Deivid, Marcinho (Leandro) e Gil
Técnico: Carlos Alberto Parreira

Data: 13/10/2002 (quarta-feira)
Horário: 21h40
Local: Fonte Nova, em Salvador
Juiz: Valdomiro M. Silva Filho (PE)
Cartões amarelos: Ramalho, Nílson (B); Gil, Vampeta