Corinthians é eliminado no Morumbi

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de maio de 2003 as 23:47, por: cdb

O Corinthians não conseguiu controlar os nervos e foi eliminado da Taça Libertadores. Na noite desta quarta-feira, a equipe brasileira perdeu novamente para o River Plate, por 2 x 1, e mais uma vez deixou escapar a competição sul-americana, maior obsessão da Fiel.

Roger foi expulso aos 45min do primeiro tempo e desmantelou o esquema montado pelo técnico Geninho. Liedson marcou para o Timão, enquanto Demichelis e Fuertes fizeram para os argentinos.

A equipe de Parque São Jorge garantiu vaga no torneio ao vencer, no ano passado, a Copa do Brasil. Carlos Alberto Parreira, que retornou à Seleção Brasileira, era o treinador.

O Corinthians disputou a sua sexta Libertadores. Foi eliminado em 1977 na primeira fase, em 1991 nas oitavas de final, 1996 e 1999 nas quartas-de-final e em 2000 nas semifinais. Nas duas últimas edições, o algoz foi o arqui-rival Palmeiras.

O Timão, aliás, é o único grande do Estado que não conquistou o título. O único triunfo internacional aconteceu em 2000, quando o alvinegro levantou o Mundial de Clubes da Fifa.

Como o Corinthians não disputou a Copa do Brasil, a única chance de retornar à Libertadores é terminar o Campeonato Brasileiro entre os três primeiros. Atualmente, o time ocupa a sétima posição.

Jogo
O Corinthians jogou apenas nove minutos no primeiro tempo. Pressionou o River Plate e abriu o placar, com Liedson. Leandro cruzou da direita e o artilheiro conferiu de cabeça. 1 x 0.

O gol, ao invés de tranqüilizar o Timão, teve efeito contrário. A equipe passou a errar muitos passes e abusou de lances ríspidos. Liedson e Leandro, visivelmente nervosos, discutiam a todo instante com os argentinos e o com juiz colombiano Oscar Ruiz, que demorou a distribuir cartões.

O River Plate, que estava melhor postado e equilibrado, empatou aos 22min. Fabinho fez falta violenta em D’Alessandro na intermediária. Na seqüência, em jogada ensaiada, Coudet levantou na área e Demichelis testou firme. 1 x 1.

O lance enervou ainda mais os corintianos, que já não tinham mais o apoio da Fiel. À vontade, o adversário tocava a bola e explorava os contra-ataques.

Roger, que substituía Kléber (expulso em Buenos Aires) era a maior deficiência do Timão. O jovem lateral-esquerdo, visivelmente assustado, procurava se livrar o mais rápido possível da bola – não chegou nenhuma vez à linha de fundo.

Para comprometer ainda mais a sua atuação, aos 45min, Roger acertou um chute em D’Alessandro e foi expulso. “Ele (árbitro) vem aqui e sacaneia o Corinthians. Não pode”, resmungou enquanto descia para o vestiário.

Os jogadores, que durante a semana repetiram diversas vezes que arriscariam chutes de fora da área, apostando na suposta fragilidade do goleiro Buljubasich, ficaram apenas na promessa.

A outra chance do alvinegro na etapa inicial aconteceu aos 36min. Jorge Wagner cruzou, Leandro pegou o rebote e, sozinho, chutou à direita do gol.

Geninho promoveu uma mudança na etapa final: Renato entrou no lugar de Leandro. E o time, ao invés de melhorar, ficou ainda mais vulnerável. Aos 9min e 10min, Doni evitou que Cavenaghi e D’Alessandro ampliassem.

Por mais que os brasileiros se esforçassem, o Corinthians não conseguia deixar de ser apático. Furtes e Cavenaghi cansaram de perder gols. O Timão, quando chegava, era travado pela bem postada defesa argentina.

O sonho corintiano terminou aos 28min. Fábio Luciano toca a bola com o braço dentro da área e o juiz marcou pênalti. Fuertes chutou com violência e virou a partida. 2 x 1.

No final da partida, os jogadores do Timão ficaram descontralados e tentaram agredir, seguidamente, os atletas do River, que agora pega o Independiente (COL) nas quartas-de-final da Libertadores.

CORINTHIANS 1 x 2 RIVER PLATE

Corinthians
Doni, Rogério, Fábio Luciano, Ânderson (César) e Roger; Fabinho, Fabrício (Pingo) e Jorge Wagner; Leandro (Renato/Leandro Amaral), Liedson e Gil
Técnico: Geninho

River Plate
Buljubasich; Garcî, Ameli, Demichelis e Lequi; Coudet