Coréia esclarece afirmações sobre programa nuclear

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de abril de 2003 as 09:47, por: cdb

A Coréia do Norte esclareceu esta segunda-feira suas intenções em matéria de programa nuclear antes das negociações tripartites de Pequim com China e Estados Unidos, ao corrigir uma declaração difundida na sexta-feira, que podia gerar confusões.

A agência oficial norte-coreana KCNA publicou a versão corrigida de um comunicado oficial, que indicava que Pyongyang voltava a reprocessar o combustível nuclear, precisando que o processo ainda não tinha sido iniciado.

A nova versão em inglês, publicada esta segunda-feira no portal web da agência oficial norte-coreana, mas ainda com data de 18 de abril, indica que Pyongyang “se encaminha com sucesso para o reprocessamento” de combustível e não que “está reprocessando com sucesso” esse combustível.

Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores norte-coreano, citado na sexta-feira pela agência oficial KCNA, tinha afirmado que “como já declaramos, estamos reprocessando com sucesso mais de 8.000 barras de combustível usado em uma fase final”.

Por um momento, esta declaração gerou dúvidas sobre a realização do encontro tripartite previsto para quarta-feira em Pequim entre Coréia do Norte, China e Estados Unidos, cujo tema central será o programa nuclear de Pyongyang.

Entretanto, os tradutores americanos determinaram rapidamente que a versão difundida na sexta-feira em inglês pela agência oficial KCNA era diferente da divulgada em língua coreana pela rádio oficial Korean Central Broadcasting Service (KCBS).

No domingo, o presidente americano George W. Bush afirmou que Estados Unidos, Japão, Coréia do Sul e China têm uma “boa oportunidade” para convencer a Coréia do Norte a abandonar seu programa de armas nucleares.

Washington acredita que a Coréia do Norte já possui uma ou duas bombas atômicas e que poderia rapidamente produzir outras mediante o tratamento.

De qualquer modo, o otimismo de Bush recebeu um balde de água fria esta segunda-feira, por uma declaração alarmante da Coréia do Norte, que pede a todos os seus cidadãos para reforçar as capacidades de defesa do país.