Coréia do Sul enviará 700 soldados ao Iraque para apoiar EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de abril de 2003 as 10:15, por: cdb

O Parlamento da Coréia do Sul aprovou uma proposta para o envio de 700 soldados de suas tropas de logística para apoiar os Estados Unidos na guerra contra o Iraque.

A medida foi aprovada por uma maioria significativa dos membros da Assembléia Nacional do país, após um apelo do presidente da Coréia do Sul, Roh Moo-hyun, para que os parlamentares apoiassem a proposta.

Roh disse que o envio de equipes de médicos e engenheiros fortaleceria os vínculos entre a Coréia do Sul e Washington, essenciais, na opinião dele, na solução da crise nuclear envolvendo a Coréia do Norte.

Antes da votação, nesta quarta-feira, houve confrontos entre manifestantes contrários à guerra e a polícia em frente ao Parlamento em Seoul.

Realidade X princípios

Em discurso pedindo que o país apoiasse sua decisão, o presidente Roh Moo-hyun disse que o futuro do país estava em jogo.

“Infelizmente, a política internacional é baseada em realidade, não em princípios”, disse Roh.

“Para uma solução pacífica para o problema nuclear da Coréia do Norte, é muito importante que haja uma cooperação sólida entre a Coréia do Sul e os Estados Unidos”, acrescentou.

Vários entidades civis disseram que vão marcar os políticos que votaram a favor da medida para garantir que eles não sejam reeleitos. E uma das mais importantes associações de trabalhadores do país disse que continuará se opondo à política do presidente.

“Enviar tropas sul-coreanas para ‘ajudar um aliado’ ou ‘em defesa de interesses nacionais’ é como ajudar um amigo a cometer um assassinato e depois repartir os lucros”, disse a Federação dos Sindicatos da Coréia.