Coréia do Norte nega que esteja preparando teste com míssil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 25 de setembro de 2004 as 14:22, por: cdb

Uma importante autoridade norte-coreana negou as reportagens sobre a preparação do país para um eventual lançamento de míssil, classificando-as de especulações, segundo informação da agência de notícias japonesa Kyodo publicadas no sábado.

Em uma reunião, em Nova York, com o ministro de Relações Exteriores japonês, Yoriko Kawaguchi, o vice-ministro de Relações Exteriores da Coréia do Norte, Choe Su-hon, disse que seu país só participaria das negociações sobre seus supostos programas nucleares quando a situação permitisse.

Perguntado por Kawaguchi sobre as notícias de que Pyongyang estava se preparando para lançar um míssil, Choe afirmou que essa informação era “conjectura, rumor e especulação”, segundo a agência de notícias japonesa.

Fontes dos governos do Japão e dos Estados Unidos disseram na quinta-feira que havia sinais de que a Coréia do Norte estava preparando um teste com um míssil balístico de um tipo capaz de atingir quase qualquer lugar no Japão.

No entanto, o principal porta-voz do governo japonês disse na sexta-feira que Tóquio não acreditava em um lançamento iminente.

Choe também teria dito que a Coréia do Norte ainda está comprometida com as negociações –que envolvem China, Japão, Coréia do Sul, Rússia e EUA– sobre seu programa nuclear, mas acrescentou que detalhes sobre os experimentos nucleares da Coréia do Sul devem ser esclarecidos.

A Coréia do Norte recusou-se a participar da quarta rodada de negociações, que deveria ter acontecido este mês.

Na reunião com Kawaguchi, em um intervalo da sessão da Assembléia Geral da ONU, Choe disse que a Coréia do Norte abandonaria seu programa nuclear se os EUA dessem garantias de segurança, disse a agência Kyodo.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) da ONU aprovou separadamente na sexta-feira uma resolução que pede que a Coréia do Norte “acabe completamente com qualquer programa de armas nucleares”.