Coréia do Norte indica a realização de um possível teste de míssil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 08:10, por: cdb

O governo americano afirmou que a Coréia do Norte declarou uma zona de exclusão marítima nos arredores de sua costa no Mar do Japão em uma manobra que pode indicar a realização de um possível teste de míssil.

De acordo com o Pentágono, as autoridades norte-coreanas ordenaram o isolamento entre os dias 8 e 11 de março de uma área praticamente igual à região em que um míssil foi testado no último dia 25 de fevereiro.

“Estamos cientes de que eles emitiram um aviso de exclusão, que é tipicamente um precursor de um teste de míssil”, afirmou o capitão Jeff Davis, porta-voz do Pentágono.

O alerta ocorre um dia depois da entrevista coletiva concedida em Washington pelo presidente americano, George W. Bush, que disse estar otimista em encontrar uma solução diplomática para o impasse sobre o programa nuclear da Coréia do Norte.

Interesse direto

Na entrevista de quinta-feira, Bush afirmou que há diversos países na região com “interesse direto em saber se a Coréia do Norte tem ou não armas nucleares”.

De acordo com o presidente americano, os Estados Unidos e os vizinhos da Coréia do Norte devem trabalhar para convencer o líder norte-coreano Kim Jong-Il que “o desenvolvimento de um arsenal nuclear não é do interesse de seu país”.

As declarações de Bush ocorreram no momento em que os Estados Unidos discutem a possibilidade de uma redistribuição de suas tropas estacionadas na Coréia do Sul ao longo da fronteira com o vizinho do norte.

A tensão na relação entre Estados Unidos e Coréia do Norte aumentou em outubro, quando autoridades americanas declararam que o governo norte-coreano havia admitido ter um programa secreto de armas nucleares.

Os Estados Unidos e seus aliados suspenderam o envio de ajuda em combustível para a Coréia do Norte, que respondeu com a expulsão dos inspetores de armas da ONU, com a retomada de um antigo programa nuclear e com a retirada do país do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares.

O governo norte-coreano pede a assinatura de um pacto de não-agressão com os Estados Unidos, mas as autoridades americanas se recusam a negociar com a Coréia do Norte enquanto o programa nuclear norte-coreano não for suspenso.