Coréia do Norte declara que só armas garantem segurança

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 10 de abril de 2003 as 10:23, por: cdb

O governo norte-coreano declarou nesta quinta-feira que os ataques americanos ao Iraque provam que uma nação só é segura se tiver poderio para fazer frente a qualquer ofensiva militar.

A afirmação foi feita no dia em que o abandono pelo país do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares passa a valer.

Na quarta-feira à noite, Estados Unidos, Grã-Bretanha e França não conseguiram a aprovação de sanções ao país pelo Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas).

Por oposição de Rússia e China (os outros dois países com direito a veto), o governo do presidente Kim Jong-Il não sofrerá nenhuma sanção por ter abandonado o tratado.

Russos e chineses acreditam que uma eventual pena só iria intensificar a crise na região.

Para pôr fim à tensão, a Coréia do Norte quer uma reunião apenas com os Estados Unidos, que, por sua vez, defende um entendimento multilateral.

A crise começou há seis meses, quando os EUA acusaram a nação comunista de manter um programa nuclear secreto.

Desde então, os americanos impuseram embargos de produtos, inspetores da ONU foram expulsos do país, a Coréia do Norte derrubou um avião espião dos EUA e lançaram um míssil de treinamento no mar do Japão.