Copom anuncia a manutenção da taxa de juros básicos da economia brasileira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 23 de abril de 2003 as 17:51, por: cdb

Conforme esperado pelos analistas de mercado, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou, nesta quarta-feira, a manutenção da taxa de juros básicos da economia brasileira, a Selic, em 26,5% ao ano, sem a adoção de viés.

A alegação do Copom para deixar os juros como estavam coincidiu com o cenário descrito pelo mercado: uma inflação persistente, a despeito da desvalorização contínua do dólar frente ao real.

“Apesar de se verificar resistência a uma queda mais acentuada dos índices mensais de inflação, melhoraram as perspectivas de inflação desde a última reunião”, informou o Copom por meio de uma nota.

“Diante disso, o Copom decidiu manter por unanimidade a taxa Selic em 26,5% ao ano sem viés”, concluiu.

A suspensão do viés quer dizer que os técnicos do Banco Central não mexerão na taxa Selic antes da próxima reunião, marcada para os dias 20 e 21 de maio – a menos que se encontrem em caráter extraordinário.

A Selic foi alterada pela última vez em fevereiro, quando subiu de 25,5% para 26,5% ao ano.

Em março, a taxa foi mantida no mesmo patamar, mas o Copom adotara o viés de alta.

Em janeiro, na primeira reunião do Copom no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, os juros sofreram uma alta de meio ponto percentual em relação a dezembro de 2002, passando para 25,5%.

No mercado financeiro, segundo o relatório Focus – pesquisa realizada semanalmente pelo Banco Central junto a 100 analistas e instituições – divulgado na última terça-feira (22), a expectativa é de que a taxa Selic encerre 2003 em 20% ao ano.

Os analistas entrevistados pelo BC elevaram a estimativa de inflação para este ano, de 12,30% para 12,44%. A meta ajustada de inflação do governo para este ano, com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo, é de 8,5%.