Convidados internacionais da Bienal conhecem Paraty e o Maracanã

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 18 de maio de 2003 as 16:31, por: cdb

Caipirinhas em Paraty, cidade histórica do Rio de Janeiro e visita ao Museu de Arte Contemporânea, em Niterói. Os escritores Scott Turow e Salman Rushdie, convidados ilustres da 11a Bienal Internacional do Livro, se impuseram no sábado uma verdadeira maratona para conhecer o máximo possível da capital carioca.

Os dois não pararam um único minuto durante todo o dia, sendo que o escritor indiano Rushdie fez um pedido para seus anfitriões da editora Companhia das Letras: faz questão de ir ao Maracanã neste domingo assistir ao jogo entre Flamengo e Guarani. Seu desejo, segundo o editor Luis Schawrcz, será plenamente atendido.

O americano Scott Turow pediu para a equipe de sua editora, a Record, uma sugestão de passeio e, logo na manhã de sábado, embarcou em um helicóptero rumo a Paraty. Lá, conheceu o ateliê do artista plástico Marco Franco que pinta em seus quadros a mata Atlântica.

Em seguida, deu uma paradinha no Bar da Cachaça e tomou três doses da legítima pinga Dom João. Ficou encantado com o sabor e, ao saber que Paraty é a sede de um festival da cachaça, praticamente se convidou para o próximo evento.

Do bar, visitou a Igreja da Matriz e almoçou no restaurante Refúgio. De volta ao Rio, pediu que o piloto do helicóptero desse uma “paradinha” na Bienal, porque ele gostaria de “dar uma olhadinha” — para total desespero dos organizadores, preocupados com segurança.

Turrow passeou por meia hora entre os estandes sem ser importunado pelo público, que não reconheceu o autor de best-sellers sobre casos de justiça que já vendeu 25 milhões de exemplares em todo o mundo.

Já Salmon Rushdie pediu para conhecer a cidade e deixou que seus anfitriões preparassem um roteiro. O dia começou com uma ida a Niterói, distante cerca de 15 quilômetros do Rio, para uma visita ao Museu de Arte Contemporânea projetado por Oscar Niemeyer. De lá, foi para Santa Tereza, onde almoçou no panorâmico restaurante Aprazível. No domingo, ele pretende ir ao Pão de Açúcar (na sexta-feira foi ao Corcovado) e na floresta da Tijuca antes de ir no Maracanã.

Rushdie passou a tarde de sábado na Bienal, onde deu uma palestra para 600 pessoas. A seu próprio pedido, foi, em seguida, autografar seu livro “Fúria”, no estande da editora.

Durante todo o passeio, Rushie repetia a todo o momento como estava encantado com a beleza do Rio e comentou que pretende voltar à cidade, mas acompanhado da namorada, a atriz Padman, que deveria ter vindo com ele desta vez mas teve que participar do Festival de Cannes.